Diego Simeone fez a antevisão à partida frente ao FC Porto marcada para amanhã. O treinador do Atlético de Madrid destacou o seu reencontro com o amigo Sérgio Conceição, antes de enumerar alguns dos perigos que os dragões podem trazer.

"Primeiro, encontro um amigo, Conceição. Coincidimos em anos muito bons na Lazio, como companheiros. Está a dar personalidade à equipa tanto na Liga em Portugal como nas competições europeias. Pressão, agressividade, muita velocidade no jogo, com posicionamentos muito claros de como teve superioridade numérica onde podem causar estragos", disse.

O FC Porto visita o Atlético de Madrid na quarta-feira, às 21:00 locais (20:00 em Lisboa), no Estádio Metropolitano, em Madrid, na estreia do Grupo B da ‘Champions’, que ainda inclui Liverpool e AC Milan, em encontro com arbitragem do romeno Ovidiu Hategan.

“Se esperava que Sérgio Conceição fosse treinador? Da minha parte, seguramente que sim, mas dele nem tanto. Sempre teve um futebol muito vertical e dinâmico. Era muito cabeça dura. Gosto de tudo o que transmite. É um treinador com energia, segurança e leva anos magníficos à frente da sua equipa”, agregou Diego Simeone, que, com o atual técnico portista, ganhou campeonato, Taça de Itália e Supertaça Europeia, em 1999/00.

Finalistas vencidos em 1973/74, 2013/14 e 2015/16, os ‘colchoneros’ regressam à principal prova europeia de clubes com o estatuto de campeões espanhóis, procurando conquistar o único título em falta no ‘reinado’ de ‘el cholo’, desde 2011/12 em Madrid.

“Não penso para além do jogo de amanhã [quarta-feira]. O caminho faz-se caminhando. Conhecemos a competência e dificuldade neste grupo com grande equilíbrio. Centro-me na competição, que é muito dura e em que cada erro se paga”, finalizou Diego Simeone, privado no treino matinal do lateral inglês Kieran Trippier, devido a problemas gástricos.

Ausente por castigo estará o central montenegrino Stefan Savic, um dos elementos do eixo defensivo, a par do uruguaio José María Jiménez, conhecedor do lastro do FC Porto, que afastou a Juventus em 2020/21 e ‘caiu’ por um golo nos ‘quartos’ frente ao Chelsea, ‘carrasco’ do Atlético de Madrid na ronda anterior, a caminho do segundo cetro europeu.

“Fez uma grande Liga dos Campeões na época passada e tem uma grande equipa este ano. Sabemos que vai ser um jogo difícil, como são todos na ‘Champions’, especialmente o primeiro. Na fase de grupos, cada ponto é importante, ainda por cima quando jogamos em casa. Temos de fazer o nosso jogo e tratar de conseguir os três pontos”, apontou.

Embora o recente regresso do dianteiro francês Antoine Griezmann (ex-FC Barcelona) “potencie o grupo”, o companheiro do avançado português João Félix e do defesa brasileiro Felipe e do médio mexicano Héctor Herrera, ambos ex-atletas do FC Porto, alertou que o líder da Liga espanhola, a par de Real Madrid e Valência, tem de crescer.

“Queremos vencer a competição que nos colocam à frente. Preparámo-nos para isso. Temos um grande plantel, com muitíssimos nomes, mas ainda precisamos de criar uma equipa em que os homens estejam por cima dos nomes. Isso vai definir se poderemos ganhar ou não”, concluiu José María Jiménez, na mesma conferência de imprensa.

*Artigo atualizado às 13h47

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.