O futebolista argentino Lionel Messi caiu nas meias-finais, “arrastando” consigo o detentor do troféu FC Barcelona, mas está muito perto de conquistar pelo quarto ano consecutivo o título de melhor marcador da Liga dos Campeões.

Depois dos nove golos de 2008/2009, dos oito de 2009/2010 e dos 12 de 2010/2012, Messi fez ainda melhor esta temporada, conseguindo, com 14, um novo recorde na “era Champions” – desde a temporada 1992/93. 

O “10” do “Barça”, que já compartilhava o recorde com o holandês Ruud van Nistelrooy (12 golos pelo Manchester United, em 2002/2003), não tem, porém, ainda o troféu garantido, pois o alemão Mario Gomez soma 12 tentos e está na final.

O possante avançado do Bayern Munique igualará o argentino com um “bis” e será o vencedor a solo se lograr o segundo “hat-trick” na prova, depois do conseguido face ao Nápoles (3-2 em casa), na quarta jornada da fase de grupos.

Mario Gomez, que já tinha sido o segundo melhor em 2010/2011 (com os mesmos oito golos do camaronês Samuel Eto’o, então no Inter de Milão), já fez ainda melhor na presente temporada, ao lograr um “poker” face ao Basileia (7-0), nos “oitavos”.

Mas, além dos registos dos jogadores “normais”, há também os de Messi, que esta época conseguiu marcar cinco tentos em apenas um jogo, feito inédito na “Champions”.

A 07 de março, na segunda “mão” dos “oitavos”, o argentino protagonizou a “manita de Dios”, ao marcar uma mão cheia na goleada por 7-0 aos germânicos, com tentos aos 25, 42, 49, 58 e 84 minutos, nenhum deles de grande penalidade.

Messi logrou um “bis” face aos bielorrussos do BATE Borisov (5-0), um “hat-trick” frente aos checos do Viktoria Plzen (4-0), e um golo aos italianos do AC Milan (3-2), na fase de grupos, curiosamente todos em reduto alheio.

Depois, nos “oitavos”, marcou seis ao Bayer Leverkusen, um deles na Alemanha (3-1), e, nos “quartos”, voltou a marcar ao AC Milan, desta vez no Nou Camp: “bisou” de grande penalidade, no triunfo por 3-1, após o “nulo” em San Siro.

Messi passou a somar 14 golos e ficou-se por ai, já que, qual “maldição”, voltou a não conseguir marcar ao Chelsea, sendo que, na segunda “mão”, na Catalunha, atirou duas vezes ao “ferro”, a primeira na marcação de uma grande penalidade.

O argentino tem, ainda assim, bem encaminhado o quarto título de melhor marcador da “Champions”, numa temporada em que já marcou 72 golos pelo “Barça”, em 59 jogos, mais cinco pela Argentina, em sete encontros, para um total de 77 tentos, em 66 jogos.

O “10” do FC Barcelona vai também conquistar pela segunda vez a “Bota de Ouro”, entregue ao melhor marcador dos campeonatos europeus, face aos “estratosféricos” 50 golos marcados na edição 2011/2012 da Liga Espanhola, em 37 jogos.

Messi somou ainda três na Supertaça espanhola, dois no Mundial de clubes e um na Supertaça Europeia, três provas conquistadas pelos catalães, com triunfos finais face a Real Madrid, Santos e FC Porto, respetivamente.

A única prova em que o argentino não conseguiu, pelo menos, a média de um golo por jogo foi na Taça do Rei (dois tentos, em seis jogos), sendo que o “Barça” ainda joga a final, a 25 de maio, face ao Athletic Bilbau, no Vicente Calderon, em Madrid.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.