A obrigação de vencer ou empatar com golos a segunda mão do 'play-off' de acesso à Liga dos Campeões de futebol, frente ao PAOK, é uma pressão suplementar, mas a tradição mostra um Benfica feliz nesta conjuntura adversa.

Os vice-campeões nacionais não foram além de uma igualdade a um golo no Estádio da Luz, na passada terça-feira, com golos de Pizzi e Warda. Historicamente, este resultado verificou-se já na primeira mão de outras cinco eliminatórias dos ‘encarnados’ nas competições europeias e o saldo até é positivo, com três apuramentos face a duas eliminações.

O início dessa história até foi a fase menos positiva do clube da Luz, ao ser afastado pelo Ujpest, na segunda eliminatória da Taça dos Campeões Europeus de 1973/74, com uma derrota por 2-0 no segundo jogo. Treze anos depois, na extinta Taça das Taças, foi a vez de o Bordéus impor-se por 1-0 e deixar o Benfica pelo caminho.

Porém, os ‘encarnados’ atravessam uma sequência positiva de três apuramentos consecutivos com este mesmo resultado (1-1) no primeiro encontro. Arsenal, na 'Champions', em 1991/92, Bayer Leverkusen, na Taça das Taças de 1993/94, e Marselha, na Liga Europa, em 2009/10, provaram o ‘veneno’ da 'águia' fora de portas em jogos a contar para a segunda mão.

Outro dado do lado Benfica é a história particular com o emblema de Salónica, com o qual já se cruzou em duas eliminatórias – primeiro, na Taça UEFA de 1999/00, e mais tarde, em 2013/14, para a Liga Europa. E em ambas as ocasiões, o clube português conseguiu sair vencedor da partida na Grécia, apesar do ambiente 'escaldante' criado pelos adeptos do PAOK.

Por fim, o Benfica soube também ultrapassar no passado o único 'play-off' de acesso à liga 'milionária' que disputou, ao afastar os holandeses do Twente em 2011/12. Caso a equipa treinada por Rui Vitória consiga contrariar a vantagem helénica, garante o nono apuramento consecutivo para a competição e um encaixe financeiro de cerca de 43 milhões de euros.

Além dos ‘encarnados’ há mais quatro antigos campeões europeus presentes neste 'play-off': os holandeses Ajax e PSV Eindhoven, os sérvios do Estrela Vermelha e os ucranianos do Dínamo Kiev.

O duo holandês está em boa posição para 'selar' a qualificação, uma vez que na primeira mão o PSV triunfou por 3-2 no terreno do BATE Borisov, enquanto o emblema de Amesterdão recebeu e venceu o Dínamo Kiev, por 3-1. Em vantagem encontra-se também o campeão grego AEK, que bateu o Vidi fora de casa, por 2-1.

Mais equilibradas estão as eliminatórias entre Young Boys e Dínamo Zagreb, no qual se registou uma igualdade a um golo em solo helvético, e o duelo Estrela Vermelha-Salzburgo, que registou um nulo no primeiro desafio, disputado na Sérvia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.