Quatro meses depois da última partida da Liga dos Campeões, a UEFA organizará esta sexta-feira o sorteio dA sua inédita 'Final 8' para definir o destino da competição, embora o organismo tema que a pandemia de COVID-19 volte a estragar-lhe os planos.

A última partida da temporada 2019-2020 da 'Champions' aconteceu a 11 de março, numa vitória por 2-0 do Paris Saint-Germain sobre o Borussia Dortmund, num Parque dos Príncipes já sem público. Um triunfo que permitiu ao clube francês garantir uma vaga nos quartos de final da competição pela primeira vez em quatro anos.

Na mesma noite, o atual campeão Liverpool perdeu a hipótese de revalidar o título europeu ao ser eliminado pelo Atlético de Madrid diante de 52 mil adeptos em Anfield, uma aglomeração que pode ter sido uma incubadora do vírus no Reino Unido, segundo cientistas britânicos.

Poucos dias depois, o futebol foi suspenso em toda a Europa. Somente em meados de junho a UEFA foi capaz de revelar o formato final do seu torneio e principal fonte de receita: antes da pandemia, a estimativa era de que a atual edição da 'Champions' arrecadaria um valor bruto de 3,25 mil milhões de euros.

O plano é organizar em Lisboa uma inédita 'Final 8' com as oito equipas apuradas para os quartos de final, que começariam a 12 de agosto. A final está prevista para ser disputada no Estádio da Luz, a 23 de agosto.

Os quartos de final e as semi-finais serão repartidas entre os estádios do Benfica e do Sporting.

- Final 8 sem público -

O estádio da Luz, casa do Benfica, já recebeu a final da Liga dos Campeões em 2014, quando o Real Madrid derrotou o vizinho Atlético diante de 65 mil espectadores. Agora, o ambiente promete ser bem diferente, já que a UEFA anunciou esta quinta-feira que todos os jogos serão disputados sem adeptos para evitar uma aglomeração de cidadãos de diferentes países, o que poderia causar uma nova onda de propagação da COVID-19.

Nesta altura, a grande preocupação da UEFA é a situação sanitária da capital portuguesa.

Na semana passada, o governo luso decretou o confinamento de 19 bairros da periferia norte de Lisboa, próxima dos estádios que receberão os jogos. Uma medida que afeta cerca de 700 mil pessoas e que será mantida por, pelo menos, 15 dias.

Portugal, um país de 10 milhões de habitantes, regista atualmente mais de 300 novos casos do novo coronavírus por dia. Três quartos dos 443 novos casos registrados esta quarta-feira são oriundos da região de lisboeta.

- UEFA sem plano B -

A situação ameaça arruinar os planos da UEFA, embora o presidente do organismo, Aleksander Ceferin, se mantenha otimista.

"Estou convencido de que, com a constante e contínua colaboração entre todas as partes, poderemos concluir a temporada em Lisboa de maneira satisfatória. Não há necessidade de um plano B", declarou o dirigente esloveno na semana passada.

A UEFA prevê um formato idêntico para concluir a Liga Europa com um torneio disputado na Alemanha, onde a final aconteceria no dia 21 de agosto em Colônia.

O sorteio para os quartos de final e semi-finais dos dois torneios será realizado esta sexta-feira. Mas, antes de chegar a estas fases da competição, será preciso concluir os oitavos de final de ambas as competições.

A Liga Europa disputou apenas seis dos oito jogos da segunda-mão dos oitavos de final, antes do futebol ser suspenso devido à pandemia de COVID-19

Na Liga dos Campeões, Atalanta e RB Leipzig estão apuradas e juntaram-se nos quartos de final a PSG e Atlético de Madrid. Os outros quatro duelos ainda precisam disputar os jogos da segunda-mão: Juventus-Lyon (0-1), Manchester City-Real Madrid (2-1), Bayern de Munique-Chelsea (3-0) e Barcelona-Nápoles (1-1), com as primeiras equipas de cada confronto teoricamente a jogar o segundo jogo em casa.

A UEFA, porém, mantém viva a possibilidade de que estes jogos também fossem disputados em Portugal, no Porto e em Guimarães.

À espera de que outros grandes clubes europeus consigam garantir as suas vagas no torneio de Lisboa, Atlético e PSG veem no novo formato uma oportunidade ideal de conquistar o título continental.

"Somos capazes de ganhar esta competição, assim como as outras sete equipas. Estou convencido de que seremos uma alternativa forte", garantiu o técnico do PSG, o alemão Thomas Tuchel.

A Atalanta, clube da cidade de Bérgamo, devastada pela COVID-19, também sonha em chegar à final. Assim como o Leipzig, outra equipa que alcançou os quartos de final da 'Champions' pela primeira vez na sua história.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.