O Benfica enfrenta esta terça-feira o Basileia em pleno processo de renovação, devido à recente saída do treinador Thorsten Fink. O técnico alemão que guiou a equipa ao título de campeão suíço em 2011 regressou ao seu país para fazer renascer o Hamburgo e deixou os helvéticos nas mãos do seu adjunto, Heiko Vogel.

Vogel, de 35 anos, conheceu Fink no Bayern Munique, quando este terminava a carreira de jogador nos bávaros. Depois de uma modesta carreira na terceira divisão, o novo técnico trabalhou durante nove anos nas camadas jovens do colosso germânico e acabou por frequentar o mesmo curso de treinador que Fink.

A amizade estabelecida entre ambos levou-os ao Ingolstadt, em 2008, que promoveram da terceira à segunda divisão alemã em apenas cinco meses. Todavia, o clube dispensou a dupla em 2009, ano em que surge em cena o Basileia.

Da surpresa inicial ao rumor do interesse do clube, Fink e Vogel admitiram que tinham «ganho a lotaria» com a assinatura pelo emblema helvético. A aposta não podia ter corrido melhor e em dois anos conseguiram dois títulos de campeão e ainda uma Taça da Suíça.

A saída de Thorsten Fink abre agora caminho ao “ex-adjunto” Heiko Vogel, que se estreou este sábado com uma goleada por 5-1 ao FC Schotz, da terceira divisão, em jogo dos 16avos de final da Taça.

A permanência de Vogel está assegurada até dezembro, naquela que é uma “mudança na continuidade”, algo para o qual o Benfica deve estar alerta.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.