Desilusão no rosto dos jogadores do Rio Ave, após o afastamento da equipa da Liga Europa. Francisco Geraldes, marcador do golo do empate, nem conseguia responder às perguntas da Sport TV na zona de entrevistas rápidas, numa noite dura e difícil de 'engolir' para os vila-condenses, pela injustiça do resultado.

"Sensação após o jogo? É difícil responder a essa pergunta. Comparar a dimensão das equipas é um pouco utópico. Mostrámos que estamos num caminho que é digno de registo. Dificilmente penso numa equipa da nossa dimensão a bater-se como nós nos batemos com o Milan, e é um bocado isto... Faltam-me as palavras, porque é muito inglório. Esta cidade merecia, nós merecíamos, mas o futebol é isto", começou por dizer o médio, explicando que nem o Milan acreditava ser possível empatar no prolongamento.

"Eles estavam a jogar um futebol aéreo, à espera que algo lhes caísse do céu, digo-o sem desrespeito algum, foi isso que o jogo mostrou, na parte final, e realmente caiu. Factualmente, caiu. E pronto, tivemos de ir a penáltis. Não é, de todo uma lotaria, é preciso saber bater, e pronto, caiu para o lado deles. Falhámos, eu falhei, mas só falha quem lá está, no fundo é isso", atirou.

Na maratona de penaltis, Geraldes converteu o primeiro mas depois, no segundo, atirou ao poste. O médio explicou o penalti falhado que podia apurar o rio Ave.

"Sabia que ele pensaria que eu não ia mudar de lado. Tinha a certeza. Mas, eu também quis ter a certeza de que, na eventualidade de ele não ir para o meu lado, não poder ir à bola. Foi demasiado, mas é isso, só falha quem lá está", garantiu.

Também Lucas Piazón estava desiludido com o resultado.

"Estivemos muito perto inúmeras vezes e não conseguimos fechar o jogo. Muito orgulhoso da equipa, lutámos até ao final, estivemos na frente até ao final, faltou um pouco de sorte hoje, penso eu. [O penalti que dá o empate do AC Milan] caiu do céu. Mesmo o primeiro golo, de um canto, uma segunda bola... Fomos buscar o empate, conseguimos a reviravolta. Eles não conseguiram chegar, o Pawel fez no máximo duas grandes defesas, no último lance um chutão para a frente e a bola bateu infelizmente na mão do Borevkovic. Depois 2-2, nos penáltis também tivemos inúmeras chances, mas não deu, o futebol não quis que passássemos", sublinhou.

Para o avançado, foi uma tremenda injustiça a eliminação do Rio Ave.

"Merecíamos mais hoje, tivemos bastante controlo do jogo, reagimos bem ao golo deles, quase ganhávamos nos 90' com o lance do Santos, nos penáltis também tivemos inúmeras vezes na frente. Futebol foi injusto connosco hoje, caímos de pé", atirou.

O Rio Ave falhou, esta quinta-feira, o apuramento para a fase de grupos da Liga Europa de futebol, ao perder com os italianos do AC Milan no desempate por grandes penalidades, em jogo do 'play-off', disputado em Vila do Conde. Depois de uma igualdade 1-1 no tempo regulamentar e 2-2 no final do prolongamento, a eliminatória teve de ser decidida nas grandes penalidades e só ao 24.º pontapé, quando Aderlan Santos permitiu a defesa a Donnarumma, é que ficou decidida a favor dos italianos (9-8).

A equipa transalpina adiantou-se no marcador através de Saelemaekers, aos 51 minutos, mas os vila-condenses reagiram e igualaram por Francisco Geraldes, aos 72 minutos, tendo Gelson Dala, logo no primeiro minuto do prolongamento (90+1), adiantado a equipa portuguesa, para Çalhanoglu, na conversão de uma grande penalidade, repor a igualdade, aos 120+2.

Nas grandes penalidades, e debaixo de uma grande intempérie, a equipa italiana acabou por se superiorizar (9-8), impedindo assim os vila-condenses de se juntarem a Sporting de Braga e Benfica no sorteio de sexta-feira para a fase de grupos da prova, que vai decorrer em Nyon, Suíça, às 13:00 locais (12:00 em Lisboa).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.