Chega a ser vexante, para não dizer vergonhoso para as cores nacionais. Na noite desta quinta-feira, Sporting, Benfica e FC Porto encaixaram em conjunto 10 golos, contra cinco marcados. No dia de ontem já o Sporting de Braga se tinha despedido sem apelo nem agravo das competições europeias.

Urge, por isso, um momento de reflexão e porventura será preciso repensar a calendarização e o excesso de pausas em algumas competições nacionais. Não se entende a falta de ritmo dos emblemas portugueses, ou será apenas falta de qualidade?

Se na Europa, o Coronavírus anda na boca do povo, a noite europeia dos portugueses fez lembrar um autêntico filme de terror, com as quatro equipas a ficarem pelo caminho.

Depois da derrota pela margem mínima na Ucrânia, o Benfica tinha a oportunidade para em casa poder corrigir a mão e assim passar aos oitavos de final da competição.

Com um só triunfo nos últimos cinco jogos e a viver um momento de menor fulgor, os encarnados precisavam de marcar e evitar sofrer para seguirem em frente.

Frente a uma equipa ucraniana muito forte, sobretudo nos setores mais adiantados, o técnico encarnado apostou em Chiquinho e em Dyego Sousa.

A partida até começou de feição, com um golo logo nos primeiros minutos (9´) por Pizzi. Mas as 'águias' não aguentaram muito tempo a vantagem e voltaram a sofrer, poucos minutos depois, num autogolo de Rúben Dias.

Com 'tremideira' em zona recuada após o golo sofrido, o Benfica estabilizou e conseguiu chegar novamente à vantagem ainda antes do intervalo, num cabeceamento de Rúben Dias que se redimiu do autogolo marcado.

A abrir o segundo tempo, o Benfica dilatou a vantagem, aproveitando um desentendimento da defesa dos ucranianos. Dyego Sousa serviu Rafa para o 3-1.

Com o jogo aparentemente na mão, o conjunto orientado por Bruno Lage não resistiu à ofensiva final da equipa de Luís Castro e sofreu o 3-2 de rajada, por Stepanenko.

Bruno Lage ainda tentou refrescar o ataque, ao lançar primeiro Seferovic e depois Vinícius, mas foi o Shakhtar que colocou um tampão na eliminatória, com novo golo desta feita apontado por Alan Patrick, em nova desatenção encarnada.

E já se sabe, golos sofridos em casa pagam-se caro e o Benfica acabou penalizado com a eliminação. Em suma: No sorteio desta sexta-feira, que vai ditar o alinhamento dos jogos para os oitavos de final da Liga Europa, não vai contar com nenhuma equipa portuguesa.

Momento

O golo de Stepanenko aos 49´, dois minutos depois do 3-1 de Rafa. Este golo dos ucranianos intraquilizou o Benfica numa altura em os encarnados pareciam ter o jogo controlado depois de uma excelente entrada na segunda parte. O balde de água haveria de acontecer ao minuto 71´, com o golo de Alan Patrick.

Melhores

A equipa do Shakhtar. A qualidade dos seus jogadores do meio campo para frente causaram grandes problemas ao Benfica nas transições. Resultado: A equipa de Luís Castro marcou três golos na Luz e está na próxima eliminatória da Liga Europa.

Baixos

A defesa encarnada

Os encarnados encaixaram nos últimos 14 golos nos últimos 8 jogos, numa média de 1,75 golos por jogo. Bruno Lage já tinha identificado esta fragilidade na equipa do Benfica nos últimos jogos, mas ainda não a conseguiu corrigir. De referir que em sete partidas, os encarnados só venceram duas, algo semelhante só aconteceu com Rui Vitória ao comando em dezembro de 2017.

Reações

Lage: "Os jogadores fazem o que peço e a responsabilidade é minha"

Luís Castro: "Fizemos uma 1.ª parte horrível, perante um Benfica avassalador que nos aniquilou"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.