O SC Braga recebe os italianos da Roma, em partida agendada para as 17h55 desta quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, com arbitragem de István Kovács, da Roménia. Os dois clubes atingem os 16 avos-de-final da Liga Europa pela segunda época consecutiva e encontram-se pela primeira vez nas competições europeias, com o Braga a defrontar uma equipa da Roma comandada por um antigo treinador.

Guia de forma do SC Braga

O SC Braga segue numa série de sete jogos sem perder, com cinco vitórias e dois empates - ambos em casa frente ao FC Porto e após estar a perder, ainda que com recuperações em vantagem numérica.

Os comandados de Carlos Carvalhal, que não perdem desde o 0-1 com o Sporting na final da Taça da Liga, em 23 de janeiro, têm tido, porém, várias infelicidades, nas lesões graves de David Carmo e Iuri Medeiros, às quais se junta a saída de Bruno Viana.

As remodelações, em relação à fase de grupos, na qual o SC Braga só perdeu para o Leicester, não se ficam por aqui, pois também não haverá Paulinho, que rumou ao Sporting, mas poderá haver, em estreia, Borja, Sporar e Lucas Piazón.

Guia de forma da Roma

Pela frente, o conjunto minhoto vai ter uma Roma que tem vivido uma época tumultuosa, sob o comando de Paulo Fonseca, mas que, apesar de todos os problemas, segue num mais do que positivo terceiro lugar do campeonato de Itália.

O conjunto, que tem na estrutura o ex-dirigente do Benfica Tiago Pinto, venceu três dos últimos quatro jogos – exceção a um 0-2 na casa da Juventus -, depois de dois pesados 0-3 no Olímpico, com a rival Lazio e o Spezia, para a Taça de Itália.

O ambiente ainda não parece, porém, ‘despoluído’, o que não invalida que a formação transalpina seja formada por uma série de jogadores de grande categoria, que podem fazer toda a diferença na hora de pender a balança para um dos lados.

Confronto anteriores

O SC Braga nunca perdeu em casa frente a visitantes italianos e ganhou as três últimas eliminatórias a duas mãos diante de conjuntos da Serie A. Eliminou o Chievo e o Parma da Taça UEFA de 2006/07 e, mais recentemente, a Udinese no "play-off" da Liga dos Campeões de 2012/13, no desempate por penáltis, após dois empates 1-1.

A Roma já enfrentou adversários portugueses em 16 ocasiões. Venceu em seis ocasiões e perdeu cinco. Ganhou apenas duas vezes em Portugal e acabou por seguir em frente e, no total das sete eliminatórias a duas mãos, o seu registo é de três vitórias e quatro derrotas, sendo que nas duas mais recentes foi eliminado pelo FC Porto na Liga dos Campeões no "play-off" de 2016/17

Curiosidades

O treinador da Roma, Paulo Fonseca, orientou o SC Braga em 2015/16 e levou o clube à conquista da primeira Taça de Portugal em 50 anos, quando bateu o FC Porto, o seu antigo clube, no desempate por penáltis da final.

O que disseram os treinadores

Carlos Carvalhal, treinador do SC Braga, deixou elogios à equipa italiana e à Paulo Fonseca e abordou o apertado calendário dos minhotos.

O que esperar da Roma? "Vamos defrontar uma grande equipa, uma equipa que quando há paragens internacionais o treinador fica sozinho. Tem 18 internacionais A e isso demonstra a qualidade desta equipa. Há qualidade individual e coletiva, tem um treinador muitíssimo bom, como identidade muito própria, com dinâmica ofensiva forte. Teve algumas mudanças no setor defensivo e que lhe tem custado alguns golos sofridos. É 3.º no campeonato italiano e vamos defrontar uma equipa de topo europeu.

Vantagem de Paulo Fonseca ter treinador Braga: "Sei como a Roma joga, os pontos fortes, que são muitos, mas tem algumas vulnerabilidades. O Paulo Fonseca também conhecerá virtudes e fraquezas e hoje em dia, com as imagens e os detalhes, não me parece que haja vantagem para ninguém. Duas boas equipas e ambas vão tentar ganhar o jogo, porque não estou a ver a Roma a defender no jogo, pois tem uma matriz ofensiva. Tal como nós… Adivinha-se um grande jogo de futebol."

Paulo Fonseca, agora ao serviço da Roma, comentou o reencontro com o SC Braga e não poupou elogios a Carlos Carvalhal.

Reencontro: Tenho maravilhosas [recordações] e não se trata apenas do que conquistámos no campo. O troféu que ganhámos foram as relações que construímos no clube. Não tenho palavras para descrever o que sinto por essas pessoas, o que sinto pelo Sporting Clube de Braga. Vai ser difícil defrontá-los, mas vai ser muito bom ver os meus velhos amigos bracarenses, ver um clube e um local onde fui tão feliz.

Os pontos fortes do SC Braga: "Espero um jogo muito difícil. Conheço muito bem a equipa do Braga, conheço muito bem o seu treinador [Carlos Carvalhal], que é um treinador de topo. O Carlos está a fazer um trabalho magnífico. O Braga é uma equipa com identidade própria e vai ser uma eliminatória muito dura para nós. O Braga é hoje uma das equipas mais fortes de Portugal e, como disse, é uma equipa com identidade própria e não consigo identificar quaisquer pontos fracos. No conjunto, está muito bem organizada e muito bem treinada. É uma equipa forte em todas as situações de jogo, o que significa que serão duas partidas muito difíceis".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.