O SC Braga foi até a Bulgária empatar com o Ludogorets a uma bola, em jogo da quarta ronda da Liga Europa. Depois de uma primeira parte muito cinzenta, os ´guerreiros` tiveram forças para responder ao golo de Marcelinho e empataram por Fransérgio. No outro jogo do Grupo C o Hoffenheim empatou fora com o Istanbul Basaksehir a uma bola. A equipa de Abel Ferreira soma sete pontos, menos um que o Ludogorets e mais três que os alemães do Hoffenheim.

Abel Ferreira prometera uma resposta firme, depois da derrota em casa frente a este hexacampeão búlgaro, mas em campo os jogadores deixaram-no mal visto, principalmente na primeira parte, tal a inoperância atacante minhota. Nos primeiros 45 minutos o Braga só não sofreu golos porque não calhou. A equipa perdia nos duelos individuais, quando tinha a bola, perdia-a com muita facilidade, não conseguia ligar o jogo e sair apoiado. A somar a isto tudo, os médios e defesas iam acumulando erros individuais, causando calafrios ao guarda-redes Matheus.

O Ludogorets, que bem podia ser uma equipa do Brasileirão, tantos são os jogadores brasileiros no plantel (nove), ia derrubando a estratégia minhota com um futebol mais rendilhado, mais tecnicista, mas também com maior rapidez de movimentos. Plastun, que até é ucraniano, deu o primeiro sinal de perigo logo aos dois minutos. Três minutos depois, Ricardo Ferreira quis ser amigo e ofereceu o golo a Misidjan (holandês) mas Matheus tinha outros planos e manteve a baliza a zeros.

Sempre melhores no jogo, com e sem bola, o Ludogorets ia mantendo o SC Braga no seu meio-campo. A avalanche atacante deu frutos aos 25 minutos, mas o golo de Lukoki foi anulado por fora-de-jogo. E depois de ver Matheus negar o golo a Misidian aos 40 e ver Plastun desperdiçar nova oportunidade dos búlgaros aos 42, Abel Ferreira só podia suspirar pelo intervalo porque havia muita coisa a corrigir, se o Braga quisesse sair de Razgrad com pontos.

E o intervalo parece ter feito bem à formação minhota que entrou determinada a mostrar outra cara no segundo tempo. Em dois minutos (47 e 48), o Braga fez mais a nível atacante que em todos os 45 minutos iniciais. Danilo enviou um livre ao lado, em zona central, numa bola que até deu sensação de golo. Depois foi Xadas a testar a atenção do guarda-redes argentino Broun, num centro-remate, numa situação de igualdade numérica na área búlgara.

E vendo esse crescimento (e porque Xadas já tinha amarelo), Abel Ferreira tentou agitar ainda mais a sua equipa, lançando Ricardo Horta para o nervoso Bruno Xadas e depois Fransérgio para o posto do apagado Dyego Sousa. A equipa estava melhor, tanto assim que só aos 19 minutos o Ludogorets criou o primeiro lance de real perigo no segundo tempo, num remate de Netanael que Matheus defendeu.

Só que no melhor período dos ´guerreiros` surgiu o golo búlgaro. Depois de um canto na direita de Anicet Andrianantenain (avançado do Madagáscar), Matheus ainda defendeu o primeiro remate, mas foi impotente para travar a recarga de Marcelinho. Um golo no limite do fora-de-jogo. Do outro jogo as notícias também não eram agradáveis já que o Hoffenheim estava a vencer o Istanbul Basaksehir.

A precisar de vencer, o Braga só conseguiu responder aos 74 minutos num cabeceamento de Danilo, intercetado pelos defesas contrários. Abel tentou o tudo por tudo, lançando o avançado Hassan pelo lugar do médio Danilo, aos 78 minutos. Mas o Braga tinha voltado à versão da primeira parte: sem ideias, sem cabeça, sem discernimento para dar a volta ao marcador.

Mas a equipa nunca desistiu e foi recompensada aos 83 minutos, quando Fransérgio cabeceou para o empate após centro de Paulinho. O lance nasce de uma bola no poste da baliza da de Broun, com o Braga a pedir grande penalidade.

A equipa de Abel Ferreira não se contentou com o empate e saiu à procura da vitória. Paulinho cabeceou por cima aos 88 minutos; Jefferson viu Broun voar para negar-lhe o golo, num centro remate. Mas já a terminar foi Matheus a segurar o empate que mantém os minhotos em boa posição para seguir em frente.

Isto porque no outro jogo o Istanbul Basaksehir empatou nos descontos frente ao Hoffenheim, o que acaba por ajudar o Braga. A equipa de Abel Ferreira soma sete pontos, menos um que o Ludogorets e mais um que os alemães. Na próxima ronda os ´guerreiros` recebem o Hoffenheim em casa e só precisam de um empate para garantir o apuramento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.