O Villarreal-Maccabi Telavive foi o último jogo de Liga Europa a terminar na noite desta quinta-feira. O encontro esteve para não ser realizado, dadas as más condições atmosféricas mas, 45 minutos depois, a bola estava a rolar no La Cerámica, casa do 'submarino amarelo'.

A forte chuva que atingiu a cidade fazia prever que o jogo teria mesmo de ser adiado, já que, à data do início do encontro, era praticamente impossível jogar. Foi aí que entrou em cena Vicente Alpuente, chefe da equipa de manutenção do Estádio La Cerámica, a garantir aos delegados da UEFA: vamos ter jogo esta noite.

À hora marcada, o campo parecia uma gigante piscina olímpica. Chovia a potes, a uma média de 80 litros por metro quadrado naquele momento, a que se juntava, os 47 litros por metro quadrado do dia anterior.

Então Vicente Alpuente e a sua equipa de manutenção iniciaram uma verdadeira corrida contra o tempo para escoar a água que se acumulava no terreno de jogo.

Mas esta tarefa de escoamento de água só foi possível graças ao tipo de relvado que o Villarreal escolheu colocar no seu estádio, há seis anos. Na altura, os dirigentes do clube optaram por instalar um relvado de topo no que ao sistema de drenagem diz respeito, o mesmo utilizado por vários clubes da Premier League, garante o jornal 'Marca': um 'tapete' híbrido, onde mais de 70 milhões de fibras sintéticas colocadas por baixo do relvado ajudam o mesmo a ter seis vezes mais capacidade de drenagem de água.

O Villarreal foi pioneiro neste tipo de relvados em Espanha e hoje, emblemas como Real Madrid e Barcelona já o adaptaram no Bernabéu e no Camp Nou.

Com o sistema de drenagem a funcionar na perfeição, Vicente Alpuente reuniu uma equipa multidisciplinar para terminar o trabalho, já que todas as mãos eram poucas nessa altura: cinco trabalhadores do sistema de manutenção do relvado, quatro do sistema de manutenção do estádio, quatro do serviço de limpeza, dois apanha-bolas, duas pessoas do staff da equipa do Villareal e mais um do staff do Maccabi que pediu uma escova e uma vassoura para ajudar a tirar água do terreno de jogo. Em menos de uma hora, a bola já estava a rolar.

O jogo terminou com a vitória dos espanhóis por 4-0 (dois golos de Bacca aos 4 e 52 minutos, um de Alex Baena aos 71m e outro de Niño aos 81) e, no final, até os responsáveis da UEFA ficaram impressionados com o trabalho realizado, garante a 'Marca'.

No final do jogo, jogadores e o treinador Unai Emery tiraram uma fotografia com a equipa de manutenção que tornou possível o jogo. Nas redes sociais, o Villarreal não deixou de agradecer Vicente Alpuente e os seus rapazes: "Não tenham a mínima dúvida que eles também são os heróis do jogo!", escreveu o clube no Twitter.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.