A pesada derrota do Spartak Moscovo no “dragão”, para a Liga Europa de futebol, fez aumentar as críticas ao treinador Valeri Karpin, sendo cada vez maior o número daqueles que exigem a sua demissão, noticia hoje a imprensa russa.

«Se estivesse no lugar de Karpin, eu pediria a demissão e iria descansar. Ele que se dedique aos seus negócios em Espanha e deixe de treinar o Spartak», declarou Alexander Bubnov, uma das antigas glórias do Spartak e da selecção soviética, à agência Ria-Novosti, referindo-se à goleada (5-1) sofrida na quinta-feira diante do FC Porto, na primeira mão dos quartos de final da Liga Europa.

A agência Interfax considera que os «Dragões reduziram a cinzas o Spartak».

Depois de constatar que o Spartak sofreu «a mais pesada derrota» na Liga Europa, a agência cita as palavras de Karpin:

«Quando a equipa perde, claro que o treinador é o culpado. Os accionistas do clube que decidam o que fazer com ele.»

O diário desportivo Sport Ekspress considera por seu turno que «o Spartak não tem hipóteses de passar à fase seguinte».

O enviado especial deste jornal chama a atenção para o “flash” sobre o jogo publicado no sítio electrónico do Spartak, comparando o confronto entre as duas equipas com a tentativa de tomada de Moscovo pelas tropas nazis em 1941.

«A ideia é absolutamente idiota. Portugal encontra-se hoje na mira da crise. A pobreza do país é evidente, o governo pede dinheiro à União Europeia, mas isso não será motivo para colocar no sítio do Spartak um flash com um sem abrigo a pedir esmola», escreveu o jornalista.

O diário Sovietski Sport chama a atenção para os distúrbios provocados por adeptos do Spartak em Moscovo e no Porto. Na capital russa, envolveram-se em confrontos com adeptos do CSKA, tendo-se registado vários feridos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.