O técnico Jorge Jesus afirmou hoje que o Benfica, mesmo estando em vantagem, tem de fazer golos na quinta-feira no terreno da Juventus para garantir a passagem à final da Liga Europa de futebol e rejeitou qualquer estratégia defensiva.

Em conferência de imprensa de antevisão do encontro da segunda mão das meias-finais, o treinador do clube da Luz destacou o poder ofensivo da sua equipa e desvalorizou o “caso” Enzo Perez.

“Acreditamos que, para passar esta eliminatória, temos de fazer golos no campo do Juventus, mesmo estando em vantagem. E podemos pensar assim porque temos jogadores com muita qualidade ofensiva. A Juventus também tem noção disso”, afirmou Jorge Jesus.

O Benfica vai subir ao relvado do Estádio Juventus com uma vantagem de 2-1 obtida no encontro da primeira mão, na Luz, um resultado que mesmo assim, segundo Jorge Jesus, não altera os princípios de jogo da equipa.

“Não vamos mudar o que tem sido o Benfica ao longo destes anos. Vai ser um jogo difícil contra uma excelente equipa, mas temos jogadores de qualidade. Não vamos modificar em nada as ideias do Benfica”, garantiu.

Questionado sobre queixa apresentada na UEFA pela formação italiana contra Enzo Perez no sentido de impedir o médio argentino de atuar na quinta-feira, pedido esse que acabou por ser recusado, Jorge Jesus lembrou que “o importante é o que acontece dentro de campo”.

“O importante é discutir o jogo. Esses problemas a mim não dizem respeito nem aos jogadores. Sinceramente, nunca levei isso muito a sério”, disse.

O médio Ruben Amorim, jogador escolhido para marcar presença na conferência de imprensa, também desvalorizou esse episódio, embora tenha assumido que a disponibilidade de Enzo Perez é “uma boa notícia” para o Benfica.

“O que interessa é entrar para o jogo e começar a jogar. Quando o árbitro apita para o início da partida tudo isso deixar de existir. Quando a bola começa a rolar, nada mais interessa”, afirmou o médio português.

Para Ruben Amorim, os jogadores do Benfica “estão tranquilos” e sabem “perfeitamente” o que têm que fazer frente à Juventus, apesar de estarem à espera de um jogo “bastante complicado”.

“Temos também que estar num dia bom. Temos as nossas armas e é com elas que nos vamos bater”, frisou o internacional luso.

O encontro, que pode garantir ao Benfica a décima final europeia da sua história e a segunda consecutiva na Liga Europa, está agendado para as 20:05 (horas de Lisboa) e terá arbitragem do inglês Mark Clattenburg.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.