Declarações de Jorge Jesus, treinador do Benfica, após a vitória sobre o Standard Liège por 3-0.

Análise ao jogo: "Foi importante ganhar, é o objetivo de todos. Com esta qualidade melhor ainda. Talvez seja o melhor jogo deste ano. Não só pelos três golos, mas porque não deixámos a equipa ter jogo ofensivo, não teve uma chance de golo. Dificultou-nos a organização ofensiva com muitos jogadores atrás, mas nós gostamos e estamos a adaptar-nos a estes sistemas. Sabíamos que o tempo ia criar espaços e trazer oportunidades. Houve qualidade a atacar e a defender. É importante não sofrermos golos e estamos há dois jogos sem sofrer".

Diogo Gonçalves na lateral direita: "Ao longo destas semanas, nestes quatro meses, temos estado a fazer adaptação do Diogo [Gonçalves] como lateral direito, mas quando tínhamos o André não havia muito tempo no treino para ele exercitar. Quando ele se lesionou comecei a trabalhar com Gilberto e Diogo. Começou a dar-nos indicações muito boas. Não é novidade nenhuma. Também já foi lateral direito várias vezes na seleção, estamos a criar uma nova posição para o Diogo. O Gilberto tinha jogado dois jogos, achava que precisava de jogadores mais frescos. Fizemos seis alterações e pus jogadores que não jogaram de início no Belenenses. Acho que foi muito importante para a frescura e qualidade de jogo".

Conversa ao intervalo: "Somámos o segundo jogo sem sofrer golos, a linha de quatro teve impecável a defender e atacar e o Nuno [Tavares] e o Diogo [Gonçalves] estiveram muito bem. Ao intervalo disse-lhes que não se preocupassem, porque vinha aí o cansaço e ia haver mais espaço para os nossos jogadores mais rápidos".

Gesto de Pizzi a dar a bola para Waldschmidt marcar 2.º penálti: "Por isso é que ele é o primeiro capitão do Benfica. Ele teve um comportamento e atitude de capitão, comigo o capitão pensa sempre na equipa. Ele deu a chance ao Luca Waldschmidt de fazer golo".

Gestão da equipa: "Desde que o André Almeida se lesionou temos feito experiências com o Diogo [Gonçalves]. Foi uma coisa pensada, não foi ao acaso e ele esteve bem. Pensei em descansar o Darwin, mas se ganhássemos o jogo fazíamos seis pontos, o Rangers também e já ficavam duas equipas mais próximas do apuramento. Daqui para a frente posso gerir melhor. Mas colocámos seis jogadores que não começaram o jogo com o Belenenses e a equipa esteve muito bem".

Carcela compara Benfica ao Barcelona: "Não quero que o Benfica seja parecido com o Barcelona de agora. Não direi que seja o Barcelona de agora, nem quero que seja parecido ao de agora. Não me importo nada que seja comparado ao Barcelona de há uns anos. Estamos mais confiantes, a sentir-se melhores".

O Benfica somou, esta quinta-feira, a segunda vitória no grupo D, ao vencer na receção aos belgas do Standard Liege 3-0, e ficou mais próximo de se apurar para os 16 avos de final da Liga Europa de futebol. Num jogo marcado pelo regresso do público ao estádio da Luz, após vários meses de ausência devido à covid-19, os 'encarnados' superiorizaram-se com golos de Pizzi, aos 49 minutos, na conversão de uma grande penalidade, e aos 76, e de Luca Waldschmidt, aos 66, também de grande penalidade.

Com esta vitória, o Benfica lidera o grupo D com seis pontos, os mesmos dos escoceses do Rangers, segundos e que hoje venceram na receção aos polacos do Lech Poznan por 1-0. Liege e Poznan ocupam as duas últimas posições sem qualquer ponto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.