Não fosse a falta de pontaria de Téo Gutiérrez e o Sporting poderia ter saído de Istambul com uma vitória histórica ante o Besiktas. O empate a uma bola penaliza a falta de eficácia da equipa de Jorge Jesus que, mesmo com muitas sete mudanças no onze, mostrou argumentos para discutir a passagem a próxima fase da Liga Europa. E assim o Sporting não vence fora na Europa há 16 jogos.

Depois da derrota na jornada inaugural em casa frente ao Lokomotiv Moscovo (líder do Grupo H com seis pontos) por 3-1, o Sporting estava obrigado a não perder sob pena de ficar em posição muito delicada na tabela. Mas Jesus já tinha referido que esta é uma competição secundária e que o foco do Leão está na Primeira Liga. Assim o técnico leonino fez várias alterações no onze, com as entradas de Jonathan Silva, Aquilani, Tobias Figueiredo, Mané e Matheus Pereira e ainda o regressado William Carvalho, após lesão.

Tantas mexidas podia ser o prenúncio de uma derrota frente ao líder do campeonato turco, mas o Sporting mostrou personalidade, caráter e rigor para banalizar o reforçado Besiktas frente aos seus adeptos. O único registo de perigo da turma turca nos primeiros 45 minutos foi um remate de Gokhan Tore para fora, após perda de bola de William Carvalho. Demasiado pouco para quem jogava em casa com todos os seus titulares.

Mas o grande culpado da má exibição do Besiktas foi o Sporting. A irreverência de Matheus Pereira, Mané e Bryan Ruiz, a segurança de Naldo e João Pereira e a robustez de William Carvalho no meio-campo não deram hipóteses à equipa de Senol Gunes. Foi um Sporting 'mandão' aquilo que se viu no primeiro tempo, sem a vertigem do ataque rápido e continuado como gosta Jesus, mas sim uma equipa a jogar com confiança, sem pressas, trocando a bola com segurança e desferindo golpes certeiros. Só não contavam era com a falta de pontaria de Téo Gutiérrez, que não marca há mais de um mês (último golo foi ao CSKA Moscovo a 26 de agosto).

O colombiano foi isolado por Bryan Ruiz aos 12 minutos, mas rematou contra o corpo do guarda-redes. Aos 37, foi lançado por William na área, mas, isolado, rematou para fora. Aos 51, voltou a estar na cara do golo após grande passe de Carlos Mané que o deixou isolado perante Tolga Zengin, mas o remate do 'cafetero' foi contra o corpo do guarda-redes. Três flagrantes oportunidades que podiam ter acabado com o jogo.

O golo com que se chegou ao intervalo foi da autoria de Bryan Ruiz, num remate forte, de pé esquerdo, de fora da área, após centro de Matheus Pereira. A bola ainda sofreu um desvio num defesa antes de entrar. Aos 36, outra vez Bryan Ruiz a rematar para fora após passe de Téo, num bom lance de combinação entre os dois sul-americanos.

Os "manéis" de Jesus mandavam em campo, jogando de forma descomplexada, dominando o jogo, com Rui Patrício a ter uma noite tranquila.

O Besiktas, que conta com estrelas como Quaresma, Gokhan Tore, Sosa e Mario Gomez, não tinha mostrado nada de futebol ofensivo até aos 60 minutos. Os extremos estavam presos e não conseguiam desequilibrar perante os laterais do Sporting, faltava criatividade na zona central, onde Sosa andava perdido, demasiado perto de Mario Gomez. Senol Gunes lançou Tosun e Ozyakup, com este último a revolucionar o jogo dos turcos.

No primeiro e único lance, com princípio, meio e fim, a turma turca vai chegar ao empate por Gokhan Tore. A bola foi rodando por vários jogadores, sempre ao primeiro toque, até chegar a Sosa que passou de calcanhar para Tore. O turco, com toda a calma do mundo, bateu Rui Patrício e empatou a partida, aos 61 minutos. Esperava-se um massacre de futebol ofensivo por parte dos da casa, empurrados pelos seus adeptos, mas tirando um remate de Hutchinson e uma boa jogada de Ozyakup aos 78 minutos, o Besiktas não incomodou. Nessa jogada o turco foi egoísta já que podia ter passado para Quaresma que estava bem posicionado para marcar.

O técnico do Sporting lançou Adrien, Slimani e Gelson para refrescar o ataque e dar mais músculo ao meio-campo, onde conseguiu estancar a reação turca. Jesus, que já se dava por satisfeito com um empate no início do encontro, não gostou do resultado, apesar de ter elogiado e muito a sua equipa, principalmente os mais novos, como Jonathan Silva, Tobias Figueiredo, Mané e Matheus Pereira e ainda Gelson que entrou no segundo tempo. Wiliam Carvalho nem parece ter estado dois meses fora por lesão. No final do encontro, Matheus Pereira mostrou-se feliz com a estreia mas desiludido com o resultado, tal como o treinador que não deve ter gostado nada dos falhanços de Téo.

Besiktas continua assim invicto na fase de grupos da Liga Europa e não perde em casa desde 2010. A última derrota foi frente ao FC Porto. Foi também a primeira vez que o clube não perdeu com uma equipa portuguesa no seu reduto (passa a ter um empate e três derrotas). Já o Sporting aumentou para 16 o número de jogos sem vencer fora de portas na Europa. A última vitória foi frente ao Zurique, da Suíça em 2011. São quatro anos sem vencer fora de Alvalade na UEFA. Nos últimos 11 jogos na Liga Europa, os "leões" venceram apenas um, tendo empatado quatro e perdido seis. O saldo de golos é negativo (-12).

No outro jogo do grupo o Lokomotiv Moscovo venceu em casa o Skenderbeu por 2-0, com golos de Niasse e Samedov, e lidera o grupo com seis pontos. O Besiktas tem quatro, o Sporting soma apenas um e o Skenderbeu ainda não pontuou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.