O Benfica garantiu esta quinta-feira a passagem aos quartos de final da Liga Europa depois de vencer no Estádio da Luz o Dínamo de Zagreb por 3-0 num jogo que teve de ser decidido no prolongamento. Jonas empatou a eliminatória aos 71 minutos, mas o encontro acabou por seguir para prolongamento onde Ferro e Grimaldo garantiram a reviravolta na eliminatória num jogo muito desgastante fisicamente para os jogadores de Bruno Lage.

No regresso ao Estádio da Luz após o empate com o Belenenses para o campeonato, o Benfica recebeu o Dínamo Zagreb para a Liga Europa em desvantagem na eliminatória depois de uma derrota na Croácia por 1-0. Para a receção à formação croata, Bruno Lage voltou a fazer alterações na equipa com a inclusão de vários jogadores que não têm sido titulares, a começar desde logo com o regresso de Fejsa ao meio-campo e a inclusão de Jota e Zivkovic na frente de ataque. Para o lugar de Grimaldo, o técnico do Benfica apostou em Yuri Ribeiro no lado esquerdo da defesa.

Num jogo em que o Benfica estava obrigado inverter a desvantagem de 1-0 para seguir em frente na Liga Europa, o Dínamo Zagreb apresentou-se na Luz muito bem organizado e com uma estratégia defensiva para travar o natural ímpeto ofensivo dos 'encarnados' nos instantes iniciais.

Com Jota e Rafa Silva como principais referências no ataque do Benfica, coube a Pizzi e a Zivkovic a procura de espaços para dar profundidade ofensiva perante um adversário a jogar em bloco baixo. A equipa de Bruno Lage vinha de três jogos sem vencer e apesar de alguns indicadores positivos no arranque da primeira parte, o Dínamo Zagreb acabou por conseguir contrariar a estratégia do Benfica a seu favor e manter Jota e Rafa Silva longe das zonas de decisão.

Na primeira parte, as oportunidades de golo do Benfica foram escassas e mal produzidas. Zivkovic tentou alguns remates de meia distância enquanto que Pizzi procurou 'romper' as linhas adversárias em busca de espaço para servir os seus companheiros. As melhores oportunidades de golo surgiriam mesmo no final da primeira parte, por intermédio de Pizzi, um remate perigoso aos 37 minutos, e Rafa Silva, em duas situações perto dos 45 minutos.

No segundo tempo, Bruno Lage operou duas substituições na equipa do Benfica com a entrada de Jonas e Grimaldo para os lugares de Zivkovic e Yuri Ribeiro. Os 'encarnados' começaram melhor a etapa complementar apresentando maior circulação de bola. A formação croata concedeu a iniciativa de jogo ao adversário, mas também explorou as transições rápidas e criou alguns calafrios nas bancadas da Luz, nomeadamente aos 51 minutos com um remate traiçoeiro de Dani Olmo que Vlachodimos defendeu com dificuldade.

A entrada de Jonas no jogo deu outra dinâmica à equipa do Benfica e os lances de perigo começaram a surgir com maior frequência junto à baliza de Livakovic. Aos 62' minutos, Bruno Lage fez a terceira substituição na equipa do Benfica com a entrada de João Félix e a saída de Jota. Com o aumento da intensidade de jogo, o Dínamo de Zagreb começou a sentir dificuldades para controlar as movimentações dos jogadores mais ofensivos do Benfica. Jonas e João Félix trouxeram outro tipo de velocidade e técnica aos argumentos do Benfica, e aos 71 minutos foi mesmo o avançado brasileiro acabou a inaugurar o marcador com um grande remate de primeira.

O golo trouxe outra confiança aos jogadores do Benfica e aos 77 minutos os 'encarnados' estiveram perto de passar para a frente da eliminatória após uma grande arrancada de Rafa, desde o meio-campo defensivo até à grande área contrária, mas o internacional português não conseguiu assistir Jonas para o golo.

Instantes depois do lance de Rafa, Jonas rematou em arco para uma brilhante defesa de Livakovic, a negar o golo ao avançado brasileiro do Benfica. Com o prolongamento a surgir no horizonte, o técnico do Dínamo Zagreb refrescou o ataque com a entrada de Gavranovic e a saída de Petkovic.

No último minuto do tempo regular, o Dínamo Zagreb esteve perto de passar para a frente na eliminatória na sequência de um pontapé de canto convertido por Dani Olmo que ia levando a bola para o fundo da baliza do Benfica, mas o guarda-redes Odysseas Vlachodimos impediu o pior com uma 'palmada' para novo canto.

Terminado o tempo regular com um empate a 1-1 na eliminatória, o jogo seguiu então para prolongamento com o Dínamo Zagreb a criar logo nos instantes iniciais uma situação de muito perigo com Gavranovic a rematar para defesa apertada de Vlachodimos.

O Benfica reagiu de imediato com dois lances de muito perigo junto à baliza do Dínamo Zagreb. Primeiro, Pizzi 'encheu o pé' e rematou para uma defesa apertada de Livakovic. Depois, Jonas em situação privilegiada rematou para outra defesa apertada de Livakovic.

Ao quarto minuto do prolongamento, Ferro recebeu uma bola perdida à entrada da grande área do Dínamo Zagreb, e num forte remate colocado fez o 2-0 para o Benfica. Os 'encarnados' passavam assim para a frente da eliminatória, mas a formação croata não se deu por vencida uma vez que dois minutos depois um cruzamento rasteiro do lado esquerdo do ataque permitiu a Gojak faz o 2-1, mas o remate do médio do Dínamo Zagreb dentro da pequena área saiu para fora. No último minuto da primeira parte do prolongamento, o Benfica ampliou a vantagem por intermédio de Grimaldo com o lateral espanhol a rematar de longe para o fundo da baliza de Livakovic.

Na segunda parte do prolongamento, o Benfica procurou gerir a vantagem no marcador perante um Dínamo Zagreb determinado em relançar a eliminatória. Aos 111 minutos, Atiemwen esteve perto de reduzir, mas o remate do nigeriano saiu para fora.

Sem mais golos a registar, o Benfica apurou-se para os quarto de final da Liga Europa depois de virar a eliminatória frente ao Dínamo Zagreb.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.