Sporting Braga e SL Benfica disputam esta quinta-feira o jogo da segunda mão das meias-finais da Liga Europa. Os encarnados estão em vantagem na eliminatória (2-1) mas os bracarenses jogam com o factor casa para garantirem uma presença em Dublin.

Os “Guerreiros do Minho” chegam pela primeira vez na sua história a uma meia-final europeia, depois de eliminarem equipas como o Liverpool ou Dínamo de Kiev. Os minhotos têm legitimidade em sonharem com uma reviravolta em casa, onde, nas últimas deslocações, o SL Benfica não se tem dado bem.

As “águias” já não alcançam uma final europeia desde 1990, e estão a um pequeno passo de regressaram aos grandes palcos europeus de futebol, depois de uma época em que perderam o campeonato nacional para o FC Porto.

No jogo da primeira mão, realizado no Estádio da Luz há uma semana, Jardel e Cardozo deram uma vantagem de dois golos ao SL Benfica enquanto Vandinho reduziu de cabeça para os bracarenses, fixando o resultado em 2-1.

Apesar da desvantagem na eliminatória, o técnico do Sporting Braga acredita que é possível sonhar numa reviravolta.

«Neste momento o país está dividido. Há muitos benfiquistas a torcer pelo Benfica, mas também há muita gente a puxar por nós. Sabemos que há um resultado que tem de ser recuperado. Com o 2-1 da primeira mão basta ganhar 1-0 e este é um resultado que nos permite sonhar, pelo que vamos trabalhar nesse sentido», apontou Domingos Paciência na conferência de imprensa de antevisão.

Para Jorge Jesus a eliminatória está longe de estar resolvida. O técnico encarnado promete uma equipa ao ataque em Braga, onde o Benfica está proibido de jogar em função do resultado obtido na primeira mão.

«As duas equipas conhecem-se por dentro e por fora. Neste segundo jogo temos a vantagem de ter ganho o primeiro, mas é verdade que não nos dá garantia para montar uma estratégia diferente. O Benfica tem características mais ofensivas e é dentro deste espírito e confiança que partimos para o jogo com o Braga», disse Jorge Jesus em conferência de imprensa.

O resultado da primeira mão é «perigoso». Quem o diz é Fábio Coentrão, que acredita numa vitória encarnada no Estádio AXA, apesar das dificuldades pelas quais o SL Benfica vai de certeza passar.

«Hoje em dia não há jogos fáceis, estamos em vantagem da primeira parte do jogo em que vencemos por 2-1, mas é um resultado perigoso. Nem podemos pensar que nos dá conforto, temos de entrar em campo a pensar que o resultado esta 0-0.Temos de lutar, temos a capacidade para ganhar este jogo», disse Coentrão.

Hugo Viana garantiu na antevisão do jogo da segunda mão das meias-finais que o plantel minhoto vai encarar o Benfica como se fosse um «adversário como outro qualquer» e classifica o desafio como o «mais importante da história do clube».

«Encaramos o Benfica como um adversário como qualquer outra equipa. Para nós é o jogo mais importante da época, talvez da história do clube. Temos de pensar que é o último jogo da época e se encararmos dessa maneira talvez possamos sair com uma vitória.», concluiu o jogador.

O encontro tem início às 20h05 no Estádio AXA com arbitragem do inglês Martin Atkinson.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.