“Estou confiante, a equipa está bem e eu também estou num momento feliz e quero continuar a conseguir vitórias. Tenho marcado porque temos trabalhado muito a finalização e tenho ouvido o que o mister pede. Sinto-me bem, sinto-me capaz de ajudar, mas respeito todas as opções do treinador”, disse Varela, em conferência de imprensa de antevisão do desafio com os austríacos do Rapid Viena, na Liga Europa.

O avançado sabe que o regresso do FC Porto à segunda prova da UEFA “vai ser extremamente difícil”, classificando o Rapid Viena como “uma equipa forte”.

“Têm valores individuais como o Hofmann que é muito bom jogador. Têm alas rápidos, saem bem no contra-ataque e temos de estar atentos a isso. A nossa mentalidade é jogar para ganhar. Nós jogamos sempre com exigência, sempre com pressão para ganhar. Isto é o F.C. Porto e há-de ser sempre assim”, sublinhou.

Seu companheiro no ataque portista, Varela elogiou a excelente forma de Hulk: “É um jogador com muita qualidade e, juntamente com a equipa, sobressai”.

No final da conferência, Varela abordou ainda o tema da sua lesão que o impediu de vestir a camisola da Selecção Nacional para os dois jogos de apuramento para o Euro2012.

“Fui visto pela Federação e pelo departamento médico do F.C. Porto e chegaram à conclusão que eu não estava em condições de representar a selecção naquele momento”, respondeu Varela às insinuações de Jorge Costa, treinador da Académica, que disse haver dois clubes portugueses e um estrangeiro que impediram jogadores de prestar serviço à selecção portuguesa.

FC Porto defronta, esta quinta-feira, o Rapid Viena, às 20h05, no Estádio do Dragão, em jogo a contar para a primeira jornada do Grupo L da Liga Europa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.