Foi nos quartos de final da anterior edição da Liga dos Campeões que Benfica e Chelsea se encontraram pela última vez e a recordação não podia ser mais negativa para o clube da Luz. Duas derrotas pela margem mínima (0-1 na Luz e 2-1 em Stamford Bridge) e um forte sentimento de injustiça pela eliminação ainda ecoam na memória encarnada.
O ‘cinismo’ e a astúcia da equipa londrina, então comandada por Roberto Di Matteo, foram as armas que ditaram o adeus do Benfica, mas também de Barcelona e Bayern Munique, numa caminhada improvável até ao título de campeão europeu.
E é com esse estatuto que o Chelsea vai disputar com o Benfica a final da Liga Europa, esta quarta-feira, no Arena de Amesterdão. De um lado, os muitos milhões de um clube moldado pelo russo Roman Abramovich; do outro, um Benfica em busca de se reencontrar com o seu prestígio europeu. Basta dizer que os encarnados chegam a este jogo com o dobro de finais disputadas em relação ao Chelsea: oito contra quatro. Porém, o Benfica só conseguiu vencer duas dessas oito finais, enquanto o Chelsea apenas perdeu uma.
Dos dois lados da barricada há quem conheça o “outro lado da trincheira”. Campeões em 2010 pelo Benfica sob a orientação de Jorge Jesus, David Luiz e Ramires são agora duas das estrelas dos ‘blues’. O médio conhecido como ‘Queniano’ foi o primeiro a rumar em Londres, logo no final dessa época, por cerca de 18 milhões de euros. David Luiz sairia da Luz em janeiro de 2011, a troco de 25 milhões de euros e o passe do quase desconhecido Matic, que tivera pouco espaço em Stamford Bridge.
O sérvio que agora é um dos jogadores mais cobiçados no futebol português teve de esperar na sombra de Javi Garcia para finalmente ‘explodir’ em 2012/13. E tem brilhado ao ponto de agora se falar num possível regresso ao Chelsea pela ‘porta grande’.
O conhecimento entre as duas equipas estende-se ainda aos treinadores Rafa Benitez e Jorge Jesus. Com efeito, ambos cruzaram-se em 2009/10, nos quartos de final da Liga Europa, numa fase em que o espanhol ainda liderava o Liverpool. O Benfica, de Jorge Jesus, ainda venceu a primeira mão em casa, por 2-1, mas iria claudicar no ambiente infernal de Anfield Road (4-1).
Por tudo isto, Jorge Jesus e o Benfica têm contas a ajustar com o Chelsea e Rafa Benitez. Esta quarta-feira, em Amesterdão, a história volta a dar uma chance aos encarnados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.