O treinador da Roma, o português Paulo Fonseca, destacou o “jogo realista” que a equipa fez perante o Shakhtar Donetsk, de Luís Castro, e a primeira vitória que alcançou em casa dos ucranianos.

“Era importante começar bem o jogo e não facilitámos nos primeiros 30 minutos. O Shakhtar teve a iniciativa de jogo, mas defendemos bem, e na segunda parte tivemos mais bola e marcámos nas oportunidades que criámos. Fizemos um jogo realista num estádio onde a Roma nunca tinha vencido”, disse Paulo Fonseca no final da partida dos oitavos de final da Liga Europa.

Por seu turno, o seu compatriota Luís Castro, considerou que “houve vários momentos durante o jogo em que a sorte virou as costas” ao Shakhtar e que esse fator é “um aspeto muito importante no futebol”.

“Dominámos na primeira parte e tivemos muitas oportunidades de marcar. Conseguimos quatro remates enquadrados à baliza da Roma, tivemos 70 por cento de posse de bola, ganhámos os duelos individuais e a equipa esteve sempre muito bem posicionada. Mas o golo deles marcado muito no início da segunda parte atirou-nos para fora da Liga Europa”, concluiu o técnico luso.

A Roma foi hoje vencer na Ucrânia por 2-1, depois de já ter batido o Shakhtar na capital italiana por 3-0, perfazendo um total de 5-1 a seu favor nas duas mãos, e ‘carimbou o passaporte’ para os quartos de final da Liga Europa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.