Depois de Jorge Jesus ter, na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Arsenal, apontado como culpado dos maus resultados da equipa a COVID-19 e o surto que afetou praticamente toda a equipa, pedindo aos adeptos carinho e não críticas, Pizzi marcou igualmente presença na sala de imprensa e assegurou que os jogadores estão a 100 por cento com a equipa técnica, garantindo não existirem quaisquer conflitos internos.

"Confiamos plenamente na equipa técnica. Isso nem se põe em questão! O Benfica é muito grande e quando as coisas não correm bem há sempre necessidade de encontrar conflitos. É tudo mentira, posso garantir", afirmou o médio.

Pizzi admitiu que a época está longe de estar a corresponder às expectativas, mas garantiu que toda a gente no clube está a fazer o seu melhor para inverter a situação. "Sabemos que não estamos onde devíamos estar, mas estamos a fazer tudo. Todos os jogadores, equipa técnica, staff e todas as pessoas aqui envolvidas estão a lutar para conquistar títulos, que é o que queremos", garantiu.

As consequências da COVID-19

Pizzi foi um dos jogadores das 'águias' atingido pelo SARS-CoV2 e explicou o que viveu no regresso, depois de superada a infeção.

"Só quem já passou por isto pode avaliar estas situações. Quando voltei não me sentia o mesmo, tinha dificuldades em recuperar, sentia-me cansado. Agora já me sinto melhor, mas não podemos voltar atrás. Agora estamos nas plenas condições para conquistar vitórias e passa já por amanhã. Dar o máximo dentro de campo para conquistar a vitória", destacou.

Jesus e o momento dos encarnados: "Esta crise que o Benfica atravessa não tem nada a ver comigo"
Jesus e o momento dos encarnados: "Esta crise que o Benfica atravessa não tem nada a ver comigo"
Ver artigo

Pizzi não se sentiu tentado a desculpar-se com o que se passou, preferindo olhar para o futuro próximo. "Todos sabemos o que passámos. Foi uma fase muito difícil para todos e ninguém de fora pode imaginar o que passámos. Mas passou e agora o que podemos prometer é já amanha fazer um bom jogo, tentar passar esta eliminatória e dar uma alegria aos adeptos, porque eles merecem. E nós, todos os que trabalhamos aqui no Seixal, merecemos", sublinhou.

O embate com o Arsenal

Sobre o jogo propriamente dito, marcado para a Grécia, mas com os londrinos como anfitriões, depois do empate 1-1 da primeira mão, em Roma, com o Benfica como equipa da casa, Pizzi mostrou-se confiante no apuramento.

"O que queremos é passar à próxima eliminatória. E com esse objetivo que vamos à Grécia. Vamos enfrentar uma equipa que é muito forte. Vamos ter de estar preparados para as adversidades que vamos ter e quando tivermos bola aproveitar as nossas oportunidades. Acredito piamente que temos qualidade para passar estar eliminatória", assegurou.

Pizzi recordou o primeiro jogo. "Na primeira mão fizemos um bom jogo taticamente. Estivemos bem sobretudo defensivamente. Com bola podíamos ter feio mais, é verdade, mas eles só tiveram duas oportunidades", recordou.

O Benfica atuou, nessa partida, num sistema diferente, com três centrais. Pizzi diz que o mais importante é como os jogadores respondem dentro de campo. "Jogámos com um sistema diferente daquele que jogamos no campeonato. Sinto-me confortável das duas formas. Consoante a estratégia, o importante é os jogadores interpretarem da melhor forma as ideias do mister e dar tudo o que têm para durante o jogo fazerem a diferença", terminou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.