Na abordagem à partida frente à Juventus, Rúben Amorim admite que a não contratação de um avançado em janeiro talvez tenha sido um erro de planeamento.

"É mais fácil falarmos agora. Não estou a dizer que tinha razão ou não. Vou deixar em aberto. Temos sempre de contar com lesões. Se formos sempre a contar com lesões, teríamos 30 jogadores. Se tivéssemos Paulinho, terminaríamos com ele, Chermiti e Coates. O Coates é o melhor cabeceador. Mesmo tendo dois avançados, podia colocá-lo lá. Coates dá jeito ter na frente. Apenas quero um bom cabeceador lá. Podíamos ter mais um avançado. O Pote foi o melhor marcador e, em Turim, falhou a quatro metros da baliza. Tanta coisa que faria de outra forma. Talvez o não contratar um avançado tenha sido um erro."

Importante marcar na primeira parte: "O adversário é diferente. Estando 0-0, desde que consigamos ver uma hipótese, temos de saber que temos de 90 minutos. No campeonato, quando não marcamos na primeira parte, torna tudo mais complicado, mas na Liga Europa não."

Diomande falhou frente ao Arouca: "O Diamonde vai ser titular."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.