Estavam decorridos 56 minutos de jogo. O Wolveramphton empatava sem golos na recepção ao Besiktas e, com o Braga na altura também empatado em Bratislava, a turma inglesa precisava de ganhar para ultrapassar os minhotos no topo do Grupo K. Nuno Espírito Santo decide, então fazer entrar Diogo Jota para o lugar de Rúben Neves.

Apenas dois minutos depois, Jota marcava. Aos 63 marcava mais um. E aos 69, completava um 'hat-trick' verdadeiramente supersónico. Foram três golos no espaço de 11 minutos, nos primeiros 13 em que esteve em campo! Pelo meio houve ainda tempo para Dendoncker também marcar.

Há nove anos que não se via um jogador saltar do banco para apontar um 'hat-trick' na Liga Europa. O último a consegui-lo tinha sido um nome histórico do futebol inglês: Steven Gerrard.  Além disso, foi também o 'hat-trick' mais rápido da prova desde 2014, quando Claudiu Keseru conslogrou tal feito em apenas 10 minuto e 56 segundos. E entrou para a história do Wolves, ao tornar-se no primeiro jogador em 48 anos a marcar três golos pelo clube num encontro europeu.

"O Diogo fez um jogo fantástico. Está sempre a correr, tem talento e golo", elogiou Nuno Espírito Santo no final do encontro.

Diogo Jota tinha já apontado os dois golos do Wolveramphton no empate do passado fim-de-semana, para a Premier League Inglesa, frente ao Brighton & Hove Albion. Ao todo, soma nove golos em 24 jogos pela turma inglesa esta temporada. Na época passada assinou dez golos em 37 jogos pelos Wolves, longe dos 18 que apontou em 46 partidas na sua primeira época no clube, 2017/18.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.