A estrela francesa em ascensão Eduardo Camavinga disse esta quarta-feira estar mais preocupado sobre se os seus pais o deixam ter o seu próprio carro do que sobre uma grande transferência para longe do Rennes.

O médio, que fez os 18 anos e recebeu a sua carta de condução na semana passada, já realizou três internacionalizações pelos campeões mundiais.

"Neste momento, os meus pais não me deixam conduzir muito", disse Camavinga na sua primeira conferência de imprensa no Rennes. "Estou à espera para ter o meu próprio carro, vamos ver se eles me deixam".

Nasceu em Angola mas faz história pela França: Camavinga com recorde que nem Henry, Zidane, Mbappe ou Platini conseguiram
Nasceu em Angola mas faz história pela França: Camavinga com recorde que nem Henry, Zidane, Mbappe ou Platini conseguiram
Ver artigo

Camavinga, que nasceu num campo de refugiados em Angola, filho de pais congoleses, jogou mais de 50 jogos internacionais e fez a sua estreia na Liga dos Campeões contra o Krasnodar no mês passado.

Tem sido apontado a uma possível mudança para um dos grandes clubes europeus no futuro, incluindo para o Real Madrid, mas mantém os pés no chão.

"Obviamente, os grandes clubes são um sonho. Mas não consigo mencionar um em particular", acrescentou Camavinga, que tem contrato com o Rennes até 2022.

Camavinga vai estar em ação quando o Rennes receber o Bordéus na sexta-feira, onde uma vitória os deixaria a três pontos do Paris Saint-Germain, líder da Ligue 1.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.