O clube francês Olympique Lyonnais (OL) oficializou esta terça-feira, em Pequim, a venda de 20% do seu capital ao fundo chinês IDG, pretendendo assim desenvolver a atividade do clube e o futebol na China.

"Assinámos uma parceria económica, mas também e sobretudo de desenvolvimento na China de um futebol que será, estou convencido, o número um no mundo muito brevemente", declarou o presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, durante uma conferência de imprensa.

O fundo de capital privado IDG Capital adquiriu 20% do Grupo Olympique Lyonnais, a entidade cotada do clube francês, por 100 milhões de euros. No entanto, Aulas continuará no controlo do clube, em conjunto com o seu parceiro Pathé.

O Grupo OL e o IDG Capital são ainda sócios noutra empresa, a Beijing Lyon Xingzhi Sports Culture, que está encarregue de construir, na China, escolas de futebol, com formações dirigidas pelos treinadores do clube francês.

A China, sob a liderança do presidente Xi Jinping, um grande amante de futebol, prevê a criação, em quatro anos, de 20.000 escolas de futebol, e espera estar "no topo do futebol mundial até 2050".

"O nosso objetivo enquanto acionistas de um clube francês é trazer para a China toda a experiência, conhecimentos e competências acumuladas durante 30 anos" pelo Olympique, disse Li Jianguang, um dos dirigentes do IDG.

Jean-Michel Aulas explicou que Li Jianguang será uma das duas personalidades chinesas a servir o conselho de administração do Grupo OL.

O acordo OL-IDG ilustra o crescente interesse da China no futebol europeu. Já vários clubes são controlados por investidores chineses: em França, o Sochaux e o Auxerre, em Espanha, o Espanyol, em Itália, o Inter de Milão e, em Inglaterra, o West Bromwich e o Aston Villa. O grupo Wanda detém 20% do Atlético de Madrid.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.