Logo após a conquista do seu primeiro título de Campeão moçambicano de futebol, o treinador português Litos quebrou, a muito custo, o «blackout» que perdurava na equipa da Liga Muçulmana há já algumas semanas.

Visivelmente satisfeito e após muita insistência, o treinador aceitou tecer alguns comentários em torno da conquista do seu primeiro título no Moçambola e terceiro para a sua equipa.

No seu primeiro pronunciamento sobre a conquista acabada de alcançar, Litos considerou que a sua equipa foi a melhor em prova:

«Ficou evidente ao longo da época que fomos a equipa que produziu o melhor futebol e tivemos dificuldades, mas no resumo de todas estas jornadas acho que não há duvidas que fomos a equipa que melhor futebol praticou, mais golos marcou, fizemos espetáculo, daí que merecemos o título.»

O técnico considerou que chegar ao título «implicou também muito sofrimento».

«Se bem nos lembramos nós estávamos inseridos nas competições africanas em que fomos sujeitos a viagens longas, o que criou algum cansaço, tivemos jogadores a entrarem e outros a saírem, tivemos que ir gerindo isto da melhor maneira e conseguimos chegar ao título.»

Por outro lado, o treinador da Liga Muçulmana referenciou que «há que enaltecer o grande espírito e profissionalismo dos jogadores».

«Fomos passando por situações que não eram agradáveis, juntamente com os familiares e muitos destes jogadores estando longe das famílias conseguiram ter o carinho do nosso grupo, era essa nossa função também daí que acho que estamos todos de parabéns por tudo que fizemos.»

Sobre o facto de a comemoração da conquista do título não ser exuberante como se esperava, Litos justificou a descrição com o momento que o país atravessa.

«Gostaríamos de estar a festejar de uma maneira mais vistosa, mas de facto perante aquilo que vai acontecendo no país, precisamos de ter alguma contenção nos festejos mas não podemos evitar o espírito que vai na alma dos jogadores depois de tantos meses de trabalho árduo e a faltarem duas jornadas e conquistarmos o título.»

O treinador não deixou de olhar para os adversários:

«Os parabéns às equipas que foram lutando, mas que nesta altura têm uma desvantagem grande o que demonstra a nossa capacidade de trabalho e o sacrifício que fizemos ao longo da época», concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.