“Sabiam ao que vinham. Estamos no Radison Hotel, de quatro estrelas, mesmo junto ao estádio onde Portugal joga hoje com a Coreia do Norte e não há dúvida de que o trabalho foi ‘limpinho’. Nem foi preciso forçar qualquer fechadura. Certamente alguém de dentro”, contou à agência Lusa Paulo Peixoto.

O portuense emigrado em Angola, onde é empresário, revela que lhes roubaram os computadores e alguma documentação: “E levaram ainda umas camisolas do Brasil que tínhamos para oferecer e que foram deixando pelo caminho”.

“O hotel e a polícia não estão a ser grande ajuda. Querem abafar isto. O meu amigo Shawn Scott, que é sul-africano, está comigo no quarto e já viajou pelo mundo todo sem nunca ter sido assaltado. No quarto ao lado, onde estão mais dois amigos portugueses, tentaram forçar a fechadura, mas não conseguiram e terão desistido”, acrescenta.

Paulo Peixoto e os amigos vão assistir aos três jogos de Portugal no Grupo G: “Ao menos que a selecção nos dê alegrias, para que estas férias não fiquem marcadas pela negativa”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.