O oceanário Sea Life, na cidade alemã de Oberhausen, foi quem teve a ideia de fazer o molusco Paul apontar o vencedor de jogos no Mundial, mas ninguém suspeitava que Paul se viesse a tornar uma verdadeira celebridade mundial.

“Os polvos são os invertebrados mais inteligentes que existem e precisam de estímulos e desafios para se desenvolverem. Caso contrário, vivendo em cativeiro, podem ter problemas. Paul sempre gostou da brincadeira de abrir caixas para tirar os alimentos. Por isso, tivemos a ideia de fazê-lo apontar os vencedores dos jogos da Alemanha no Mundial. Mas ninguém estava preparado para o que viria pela frente “, afirmou Daniel Fey, um dos supervisores do Sea Life e responsável por lidar com o assédio internacional sobre o animal.

O assédio tem-se materializado em ameaças e ofertas de compra do polvo, mas nada que cause alarme entre os responsáveis do parque.

“Não sei se as pessoas vêm visitar o oceanário por causa do Paul, mas todos os que vêm aqui perguntam por ele. Recebemos críticas, mas a quantidade de mensagens carinhosas é muito maior. Quanto às ameaças, não foi nada sério e nunca precisámos ir à polícia. A história das ofertas também. A maioria foi algo que saiu nos jornais. Mas o Paul não tem preço, não vamos vendê-lo”, frisou este responsável do parque.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.