Portugal venceu, esta sexta-feira, a Irlanda do Norte por 2-4, em jogo a contar para as contas do Grupo F, no apuramento rumo ao Mundial2014, que se disputou em Windsor Park, em Belfast. Cristiano Ronaldo marcou três dos quatro golos portugueses na partida, mantendo as esperanças à equipa das quinas para marcar presença no Brasil.

Para o desafio desta noite, Portugal estava proibido de perder pontos para as contas do Grupo F e só podia pensar na vitória frente à Irlanda do Norte.

Paulo Bento não fez grandes alterações na defesa e no meio campo luso. Para o ataque, o selecionador de Portugal optou por Vieirinha em vez de Nani. O jogador Wolfsburg jogou ao lado de Cristiano Ronaldo e Hélder Postiga.

Com um ambiente hostil em Belfast, principalmente para Cristiano Ronaldo, que foi obrigado a ouvir os adeptos irlandeses a gritarem por Lionel Messi, o seu grande rival no campeonato espanhol, Portugal entrou a assumir o jogo mas algo nervoso. Fruto disso foi o primeiro cartão amarelo da partida, para Pepe, por protestos, logo aos sete minutos de jogo.

Aos 16 minutos de jogo, Bruno Alves ameaçou pela primeira vez a baliza da Irlanda do Norte, até que, cinco minutos depois, o central do Fenerbahçe conseguiu inaugurar o marcador. Na sequência de um canto da direita de João Moutinho, surgiu o primeiro desvio de Postiga ao primeiro poste, com a bola a sobrar para Bruno Alves que,  à entrada da área, rematou colocado de primeira, sem hipóteses de defesa para Roy Carroll.

Apesar da vontade de dominar o encontro, a equipa das quinas demonstrou algum nervosismo na defesa e desentendimento entre os jogadores. Aos 36 minutos, num pontapé de canto da direita de Ferguson, McAuley desenvencilhou-se da defesa lusa e cabeceou na área para o empate.

Perto do intervalo, Postiga foi expulso, deixando a equipa portuguesa reduzida a dez elementos. O avançado do Valência encostou a cabeça a McAuley e o árbitro holandês Danny Makkelie mostrou o cartão vermelho direto ao ponta de lança. O capitão Cristiano Ronaldo, na tentativa de defender o colega, viu o cartão amarelo por protestos.

Ao intervalo, a formação orientada por Paulo Bento estava empatada a um golo, resultado que não interessava aos portugueses.

A etapa complementar começou da pior forma para Portugal com o golo da Irlanda do Norte. Novamente num canto da direita cobrado por Ferguson, após o primeiro desvio de cabeça de Jonny Evans, a bola sobrou para Ward que encostou para o fundo das redes, fazendo a reviravolta no marcador. Contudo, o jogador da Irlanda do Norte estava em posição de fora de jogo.

Em desvantagem, Paulo Bento colocou Nani, que recentemente renovou contrato com o Manchester United, para o lugar de Raul Meireles e a Irlanda do Norte também viu um jogador ser expulso, deixando as duas equipas com dez jogadores.

Aos 68 minutos, e com mais um pontapé de canto, Cristiano Ronaldo saltou e cabeceou certeiro para o empate. Com este golo, o avançado do Real Madrid igualou Eusébio nos melhores marcadores da seleção portuguesa, com 41 golos. Curiosamente, o Pantera negra fez o seu 41º e último golo com a equipa das quinas frente à Irlanda do Norte.

Mas esta estatística durou pouco tempo, uma vez que, minutos depois, o avançado do Real Madrid marcou mais dois golos, um de cabeça (77’) e outro de livre direto (82’), ultrapassando assim a antiga glória do Benfica e tornando-se assim no segundo melhor marcador de sempre, atrás de Pauleta. Neste jogo, o hat-trick valeu três importantíssimos pontos.

Ainda esta tarde, a seleção russa goleou o Luxemburgo por 4-1, com 15 pontos. A equipa lusa mantém a liderança com 17 pontos, mas com um jogo a mais que os russos nas contas para o Grupo F de apuramento para o Mundial2014.

Portugal ainda tem mais dois encontros para disputar, a 11 de outubro frente a Israel e, a 15 do mesmo mês, diante do Luxemburgo, todos em território português.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.