O selecionador das Honduras, Jorge Luis Pinto, acusou na segunda-feira a Austrália de uma tentativa de espionagem depois de um drone ter sobrevoado um treino da sua equipa antes da segunda mão do ‘play-off’ para o Mundial2018 de futebol.

A seleção hondurenha mostrou o seu descontentamento nas redes sociais, depois de as autoridades terem visto um drone a sobrevoar a sessão de treino de segunda-feira. "Seleção de Honduras chateada pela espionagem australiana com um drone", escreveu a seleção no Twitter.

O selecionador da Honduras reivindicou a situação na conferência de imprensa de antevisão, dizendo que não aceita a explicação do staff do estádio, que explica que se tratou de um caso acidental de um pai e um filho a brincar com um drone num parque das proximidades.

"Não vamos ser inocentes. É uma espionagem no futebol", disse.

Pinto afirmou ainda que se trata de uma situação "embaraçosa para um país tão avançado" e acrescentou que a equipa australiana verificou "todas as casas de banho e cada caixa nos estádios onde treinaram" em San Pedro Sula, para garantir que não houve espionagem durante os seus próprios treinos.

A Federação de Futebol da Austrália disse que não tinha nada a ver com o drone. O selecionador da Austrália, Ange Postecoglou, assegurou que a sua prioridade é levar a equipa ao quarto Mundial consecutivo e que não se distraiu com a situação.

"Houve um pouco de drama em torno do primeiro jogo, mas não ligamos a isso. Em última análise é tudo muito irrelevante quando o jogo começa amanhã [hoje] à noite. É tudo sobre os 90 minutos e qualquer coisa dita em antemão não tem sentido", disse o selecionador australiano.

A primeira mão ocorreu na sexta-feira e terminou com um empate a zero, deixando tudo em aberto para a segunda mão que se joga na quarta-feira no Estádio Olímpico de Sydney.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.