O Real Madrid está na final do Mundial de clubes. Os merengues sofreram para bater o Al Jazira dos Emirados Árabes Unidos por 2-1, com Ronaldo e Bale a salvarem os espanhóis, que desperdiçaram inúmeras oportunidades. O guarda-redes Ali Khaseif estava a ser um ´monstro` na baliza até sair aos 51 minutos, lesionado.

Este era daqueles jogos em que o Real Madrid haveria de ganhar, mais cedo ou mais tarde, dada a diferença de qualidade entre os jogadores e as equipas. Mas Ali Khaseif resolveu mostrar ser protagonista a primeira parte, com defesas monstruosas, evitando por diversas vezes o golo merengue. E quando não era o guarda-redes, era a falta de pontaria dos jogadores do Real Madrid.

O Real Madrid, que procura o sexto título da época (já venceu as Supertaças de Espanha e da Europa faltam o Mundial de Clubes, a Liga, Champions e Taça do Rei), só entrou neste Mundial de Clubes nestas meias-finais, defrontando o Al Jazira, formação da casa. A equipa dos Emirados Árabes Unidos afastou os japoneses do Urawa Reds nas meias-finais e queria surpreender, mas pela frente tinha apenas e só o campeão europeu e espanhol.
Zidane não facilitou e colocou a melhor equipa em campo, mesmo não contando com vários lesionados.

Os espetadores presentes no Zayed Sport City Stadium foram brindados com um espetáculo quase a solo do guarda-redes Ali Khaseif, que, com defesas espetaculares, foi adiando o golo merengue no primeiro tempo. Apesar de muito atacar e de todas as oportunidades criadas, o Real tinha de ter cuidado com o contra-ataque da formação orientada pelo holandês Ten Cate.

Depois de algumas ameaças, o Al Jazira surpreendeu ao marcar primeiro, aos 41 minutos, pelo brasileiro Romarinho. Em lance de contra-ataque, o jovem avançado tirou Varane do caminho e rematou cruzado.

Antes o vídeo-árbitro tinha entrado em ação num golo de Casemiro, naquela que foi uma situação caricata. O árbitro brasileiro Sandro Ricci começou por marcar falta de Benzema, Casemiro protestou, o árbitro voltou atrás e deu golo. Mas depois de contestações do Al Jazira, recorreu ao vídeo-árbitro para perceber que Benzema estava em fora-de-jogo. Golo anulado e tudo na mesma. Antes já tinha anulado um tento ao francês também por fora-de-jogo.

No segundo tempo os de Zidane tiveram de mudar de postura, estacando o contra-ataque dos árabes e partindo para um resultado que evitasse um escândalo. Antes, os espanhóis apanharam um susto quando Boussoufa fez o 2-0, mas o golo foi anulado por fora-de-jogo. O lance é também ele caricato já que havia dois jogadores contra o guarda-redes Keylor Navas mas conseguiram desperdiçar a jogada com um fora-de-jogo ridículo.

O Al Jazira só ´caiu` quando a ´muralha` Ali Khaseif foi derrubada. O guarda-redes teve de sair devido a lesão entrou Al Senaani para o seu lugar. E dois minutos depois de estar em campo, foi batido por Cristiano Ronaldo. O português voltou a mostrar faro para o golo, numa altura em que já era desesperante o Real Madrid não ter feito qualquer golo, tantas eram as oportunidades.

Um dos que se destacou na frente merengue, mas pelos piores motivos, foi Karim Benzema. O francês atirou duas bolas aos postes, teve várias oportunidades, mas deixou o jogo sem marcar. E foi o seu substituto, Gareth Bale, quem evitou o escândalo, ao fazer o 2-1 num remate acrobático aos 81 minutos. Cristiano Ronaldo ainda se fez à bola, mas não conseguiu desviar de calcanhar. O galês podia ter bisado já perto do fim em novo remate acrobático, mas Al Senaani negou-lhes as intenções.

O Real Madrid vai defrontar os brasileiros do Grêmio na final do Mundial de clubes. A formação campeã da América do Sul afastou o Pachuca do México por 1-0, após prolongamento. Uma final que já se esperava, já que, por norma, o jogo decisivos desta prova opõe quase sempre o campeão europeu ao campeão sul-americano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.