Portugal procura garantir esta noite a oitava presença em Mundiais, e sexta consecutiva, depois de 1966, 1986, 2002, 2006, 2010, 2014 e 2018, enquanto os macedónios nunca participaram numa fase final de um Campeonato do Mundo.

O encontro entre Portugal e a Macedónia do Norte, da final do caminho C dos ‘play-offs’ europeus de acesso ao Mundial2022, tem início agendado para as 19:45, no Estádio do Dragão, no Porto, com arbitragem do inglês Anthony Taylor.

A seleção nacional necessita assim de se impor perante a Macedónia do Norte para garantir o ‘passaporte’ para o Mundial2022 de futebol e não falhar uma presença em fases finais de Campeonatos do Mundo (ou de grandes competições) pela primeira vez desde 1998, quando sob o leme de Artur Jorge falou o apuramento para o Mundial jogado, então, em França.

A inesperada derrota (1-0) da atual campeã europeia Itália aos ‘pés’ da seleção comandada por Blagoja Milevski deixou o mundo do futebol surpreendido e Portugal com a missão de chegar ao Qatar, teoricamente, mais acessível.

O pontapé do ‘meio da rua’ de Aleksandar Trajkovski, avançado dos sauditas do Al Feiha, aos 90+2 minutos, tirou o conjunto de Roberto Mancini da maior competição de seleções pela segunda vez seguida.

Com todo o favoritismo do seu lado, Portugal vai, muito provavelmente, deparar-se com um adversário a jogar em bloco baixo, a esperar por um erro, uma transição rápida ou um lance de bola parada para ferir os lusos.

Depois de ter cumprido castigo face aos turcos, o lateral João Cancelo deverá entrar direto para o ‘onze’, por troca com Diogo Dalot, tal como o central Pepe, que recuperou da infeção do coronavírus, e deverá ocupar a vaga ao lado de José Fonte, saindo Danilo, que jogou adaptado no eixo da defesa. Raphaël Guerreiro manter-se-á no lado esquerdo do defesa.

De resto, não devem acontecer mais mexidas, com Diogo Costa – uma das surpresas no ‘onze’ com a Turquia -, a permanecer dono da baliza, ao invés do habitual titular Rui Patrício.

No meio-campo, a aposta deve recair no experiente João Moutinho, na zona mais recuada, Bernardo Silva e Bruno Fernandes, enquanto os lugares do ataque serão para Otávio, autor de um golo a uma assistência contra a Turquia, e os indiscutíveis Diogo Jota e o capitão Cristiano Ronaldo.

Uma vez que a equipa das ‘quinas’ conta com 26 convocados, três vão ter de ficar fora da ficha de jogo, com os estreantes Tiago Djaló, Gonçalo Inácio, que já tinha ido para a bancada na última partida, e Vítor Ferreira a figurarem-se como esperadas escolhas a indicar hoje por Fernando Santos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.