A seleção portuguesa de futebol tem um registo positivo face a conjuntos africanos, que encontrou em cinco de sete presenças em Mundiais, sendo que cumprirá na quinta-feira o sexto jogo, de novo face ao Gana.

Nos cinco embates face a conjuntos da CAF, Portugal soma três vitórias, todas tangenciais, um empate e uma derrota, esta logo no primeiro embate, quando, inesperadamente, perdeu por 3-1 com Marrocos, que atirou a seleção lusa para fora do Mundial de 1986.

Depois de uma vitória por 1-0 sobre a Inglaterra, selado por Carlos Manuel, e um desaire com a Polónia pelo mesmo resultado, a formação das ‘quinas’ enfrentou Marrocos, na terceira ronda do Grupo F, necessitada apenas de pontuar para seguir em frente.

Apesar de o triunfo não ser necessário, o selecionador luso, José Torres, lançou uma equipa de ataque, pela primeira vez com o ‘menino’ Paulo Futre no ‘onze’, e aos 26 minutos já perdia por 2-0, culpa de um ‘bis’ de Kahiri.

Tudo sobre o Mundial2022: jogos, notícias, reportagens, curiosidades, fotos e vídeos

Na segunda parte, Krimau sentenciou o desaire, e a eliminação dos lusos, de nada valendo, já aos 79 minutos, o ‘golaço’ de Diamantino Miranda. No meio do ‘caso Saltillo’, Portugal ficou-se pela fase de grupos no México, após o terceiro posto de 1966.

Em 2002, na terceira presença, Portugal voltou a não defrontar equipas africanas, como na estreia, mas, em 2006, na Alemanha, a seleção lusa estreou-se logo face a Angola.

O encontro disputou-se em Colónia e Portugal venceu por 1-0, graças a um golo madrugador de Pauleta, apontado logo aos quatro minutos, lançando-se para um apuramento prematuro, selado logo ao segundo jogo (2-0 ao Irão).

Para não variar, também foi de África o primeiro oponente luso no Mundial de 2010, disputado precisamente na África do Sul, sendo que o encontro, face à Costa do Marfim, de Didier Drogba, começou como terminou, com um empate a zero.

Face ao que se passou nas restantes jornadas do Grupo G, o empate de Port Elizabeth acabou por ser positivo para Portugal, que selou o apuramento com um 7-0 à Coreia do Norte e novo empate sem golos, face ao Brasil.

Em 2014, no Brasil, o encontro luso com um conjunto africano não foi o primeiro da fase de grupos, mas o último, e, face à goleada sofrida face à Alemanha (0-4) e ao empate com os Estados Unidos (2-2), Portugal estava obrigado a golear.

As oportunidades foram muitas em Brasília, mas Portugal esteve desinspirado a finalizar e só venceu por 2-1, num embate em que o golo da vitória, com sabor a derrota, pertenceu a Cristiano Ronaldo, aos 80 minutos.

Na última edição, em 2018, Portugal reencontrou, 32 anos depois, a seleção de Marrocos e logrou a ‘vingança’, de novo com um tento de Ronaldo a decidir (1-0), desta vez bem cedo, logo aos quatro minutos, no Estádio Luzhniki, em Moscovo.

O ‘capitão’ luso passou a somar, então, quatro golos em dois jogos, depois do ‘hat-trick’ à Espanha (3-3) a abrir, mas, depois disso, não mais marcou, com a Portugal a chegar aos ‘oitavos’, mas a cair nessa fase perante o Uruguai (1-2).

A estreia da formação das ‘quinas’ na edição de 2022 está marcada para esta quinta-feira, pelas 19h00 locais (16h00 em Lisboa), frente ao Gana, em encontro da primeira jornada do Grupo H, marcado para o Estádio 974, em Doha.

O SAPO está a acompanhar o Mundial mas não esquece as vidas perdidas no Qatar. Apoiamos a campanha da Amnistia Internacional e do MEO pelos direitos humanos. Junte-se também a esta causa. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.