É ganhar, ou ganhar. Porque não há outra forma de estar no Mundial de futebol, onde Portugal quer voltar a fazer boa figura.

Assumido candidato - e não favorito - por Fernando Santos, os lusos vão tentar evitar surpresas nesta primeira ronda da prova diante do Gana, numa prova que já viu uma Alemanha perder com um Japão, ou uma superfavorita Argentina ser batida pela Arábia Saudita.

A Seleção Nacional vai querer entrar com o pé direito e vencer, algo que não acontece no jogo inaugural de um Mundial desde 2006, quando foi 4.ª colocada. De lá para cá, Portugal empatou 0-0 com a Costa do Marfim, em 2010, foi goleado por 4-0 pela Alemanha, em 2014, e empatou a três com a Espanha, em 2018.

Pela frente a Seleção de Portugal vai ter um Gana reforçado com vários craques que atuam na Europa e que decidiram finalmente atuar pelos 'black stars', entre eles Iñaki Williams, que atua no Athletic Bilbao.

Tudo sobre o Mundial2022: jogos, notícias, reportagens, curiosidades, fotos e vídeos

Fernando Santos tem todos os jogadores à disposição, pelo que a questão que se põe é como escolher a melhor equipa para vencer os africanos. Nuno Mendes, o único ausente na sessão de terça-feira, juntou ao grupo no relvado do centro de treinos de Al-Shahaniya na quarta-feira, onde trabalhou sem limitações.

Sobre o onze de Portugal, Diogo Costa deverá ser o guarda-redes, João Cancelo e Raphael Guerreiro os laterais. Pepe deverá fazer dupla com Rúben Dias. João Palhinha, Otávio, Bruno Fernandes e Bernardo Silva no meio-campo, no apoio a Cristiano Ronaldo e João Félix.

Já no Gana, existe a dúvida se o selecionador Otto Addo vai optar por um esquema de cinco defesas ou um 4-3-3. Mas o onze deverá ter Lawrence Ati-Zigi na baliza, Tariq Lamptey na lateral direita, Baba Rahman na esquerda. Os centrais deverão ser Joseph Aidoo e Mohammed Salisu. Thomas Partey, Salis Samed e lisha Owusu, Iñaki Williams e Jordan Ayew poderão ser os avançados.

Momento de forma: vitórias moralizadoras antes do Mundial

Portugal chega a este encontro depois de golear a Nigéria em Alvalade, no único jogo amigável realizado antes de partir para o Qatar. Um jogo onde brilharam João Félix, Bernardo Silva, Bruno Fernandes e Otávio.

Antes, tinha falhado o acesso ao 'play-off' da Liga das Nações após perder com a Espanha por 1-0, num encontro onde só precisava de um empate para entrar na discussão do troféu que ganhou em 2019.

Já o Gana fez três jogos de preparação, o último dos quais já em novembro, num encontro onde bateu a Suíça por 2-0, com golos de Mohammed Salisu e Antoine Semenyo. Antes, tinha vencido a Nicarágua por 1-0 e perdido por 3-0 com o Brasil, ambos em setembro.

Histórico: Portugal com motivos para sorrir

No Estádio 974, em Doha, Portugal vai tentar manter a boa tradição de resultados frente a seleções africanas, que encontrou em cinco de sete presenças em Mundiais.

Nos anteriores cinco embates face a conjuntos da CAF, Portugal soma três vitórias, todas tangenciais, um empate e uma derrota, esta logo no primeiro embate, quando, inesperadamente, perdeu por 3-1 com Marrocos, que atirou a seleção lusa para fora do Mundial de 1986. Em 2006, na Alemanha, a seleção lusa estreou-se logo face a Angola tendo vencido por 1-0. Empatou 0-0 com a Costa do Marfim em 2010 e venceu o Gana em 2014. Em 2018, nova vitória magra frente a um conjunto africano, desta feita Marrocos (1-0).

A nível oficial, este será o segundo encontro entre Portugal e Gana. O primeiro, como já referimos, em 2014, Portugal até venceu mas não pelos números que precisava. Em Brasília, a seleção das ‘quinas’, na altura comandada por Paulo Bento, chegou à última jornada da fase de grupos aflita, uma vez que precisava de golear os ganeses, após sofrer uma pesada derrota na estreia frente à Alemanha (4-0) e só ter conseguido empatar com os Estado Unidos (2-2).

No Estádio Nacional Mané Garrincha, John Boye colocou Portugal na frente com um autogolo aos 31 minutos, mas Asamoah Gyan empatou aos 57. Só aos 80 minutos Cristiano Ronaldo colocou os lusos na frente mas já tarde para se chegar a necessária goleada.

Dessa equipa que atuou há oito anos em meio, no lado luso, os ‘sobreviventes’ são o guarda-redes Rui Patrício, o defesa Pepe, o médio William Carvalho e o ‘capitão’ Cristiano Ronaldo, enquanto nos africanos os irmãos Jordan e Andre Ayew voltam a encontrar Portugal.

O que dizem os treinadores:

Fernando Santos: "Propomo-nos a dar a maior alegria aos portugueses. Vamos dar o máximo, com muito alegria, muito prazer. Sentimos o apoio fantástico dos portugueses. Quando começar amanhã as praças vão estar cheias, o que nos move é dar uma grande alegria aos portugueses".

Otto Addo: "Temos de ser bravos neste jogo, ser confiantes. Os jogadores estão preparados e concentrados. Temos de defender bem, é certo. Os jogos até agora neste Mundial têm sido muito equilibrados, com resultados muito ‘apertados’ e acredito que o nosso será igual"

O jogos será dirigido pelo árbitro norte-americano Ismail Elfath. O juiz de 40 anos é um dos 28 estreantes em campeonatos do mundo e vai arbitrar pela primeira vez um encontro da principal seleção portuguesa. Elfath será auxiliado em campo pelos compatriotas Kyle Atkins e Corey Parker, enquanto a francesa Stéphanie Frappart vai desempenhar as funções de quarto árbitro.

Portugal e Gana será disputado esta quinta-feira, às 19h00 locais (16h00 em Lisboa), no Estádio 974, em Doha, em jogo do Grupo H do Mundial2022. Um encontro para seguir EM DIRETO no SAPO Desporto.

A equipa das ‘quinas’ defrontará, depois, o Uruguai, em 28 de novembro (22h00 locais), e a Coreia do Sul, de Paulo Bento, em 02 de dezembro (18h00).

O SAPO está a acompanhar o Mundial mas não esquece as vidas perdidas no Qatar. Apoiamos a campanha da Amnistia Internacional e do MEO pelos direitos humanos. Junte-se também a esta causa. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.