O confronto entre polícias e manifestantes terminou na noite de quarta-feira em Niterói (madrugada desta quinta-feira em Portugal), sem que nenhuma pessoa tenha sido presa, segundo a imprensa brasileira.

A polícia interveio quando os manifestantes tentaram bloquear a ponte Rio-Niterói, o principal acesso do município à capital do Rio de Janeiro. Houve uso de bombas de efeito, e um autocarro foi vandalizado.

No fim da noite de quarta-feira (quase 4h00 horas em Lisboa), um grupo de menos de mil manifestantes seguia protestando na cidade, mas de forma pacífica, de acordo com jornais locais.

Também havia protestos em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo e em Brasília, cidade que reuniu duas mil pessoas pela defesa da tarifa gratuita no transporte público.

Os protestos começaram no início de junho em São Paulo, exclusivamente contra a subida das tarifas dos transportes públicos, mas estenderam-se a outras cidades no Brasil e de outros países.

A repressão policial às manifestações motivou outras pessoas a protestarem pela paz e pelo direito de manifestação, bem como outras queixas, entre quais corrupção e a falta de transparência.

Em particular, as manifestações criticam os elevados gastos com a organização de eventos desportivos como o Mundial2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, em detrimento de outras áreas como a saúde e na educação.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.