O alemão Lothar Matthäus é o recordista de jogos em Mundiais, com mais um do que o compatriota Miroslav Klose, e também o futebolista com mais presenças em fases finais, em igualdade com o guarda-redes mexicano Antonio Carvajal.

Matthäus participou em 25 encontros, em cinco edições, consecutivamente de 1982 a 1998, contra 24 do melhor marcador da história dos Mundiais, que apareceu depois, jogando todas as edições entre 2002 e 2014.

No último lugar do pódio, surge o defesa esquerdo italiano Paolo Maldini, que conta 23 embates, entre 1990 e 2002.

Matthäus, nascido a 21 de março de 1961, estreou-se em Mundiais com 21 anos, em 1982, disputando apenas dois jogos em Espanha, o primeiro com o Chile (4-1), a 20 de junho, em Gijon, entrando para o lugar de Paul Breitner, aos 61 minutos.

As competições seguintes foram, porém, bem diferentes para o futebolista germânico, que esteve em todos os embates da seleção em 1986 (sete), 1990 (sete) e 1994 (cinco) e só falhou um dos cinco na sua despedida, em 1998, já com 37 anos.

O seu ponto alto do jogador foi a conquista do Mundial de 1990, também porque, como ‘capitão’, teve a honra de ser o primeiro a levantar o troféu, após a final com a Argentina (1-0, a 08 de julho, em Roma). Nesse ano, ganhou a ‘Bola de Ouro’.

Nas outras participações, Matthäus, autor de 23 golos em 150 jogos pela seleção germânica (1980 a 2000), foi vice-campeão em 1982 e 1986 e caiu duas vezes nos ‘quartos’ (1994 e 1998), face a Bulgária (1-2) e Croácia (0-3), respetivamente.

A sua carreira começou no Borussia Mönchengladbach (1979/80), teve duas passagens pelo Bayern Munique (84/85 a 87/88 e 92/93 a 1999/2000), intermediadas pelo Inter de Milão (88/89 a 91/92), antes de terminar nos agora New York Red Bulls (1999/2000).

Além do Mundial de 1990, destaque para a conquista do Europeu de 1980, de duas edições da Taça UEFA (1990/91 e 95/96) e de seis campeonatos alemães (84/85, 85/86, 86/87, 93/94, 96/97 e 98/99) e um italiano (88/89).

O alemão está no trono dos Mundiais em termos de jogos e aí vai permanecer após a edição de 2018, depois de, em 2014, ter ‘resistido’ ao ‘ataque’ do compatriota Miroslav Klose, que só participou em cinco dos sete jogos da ‘Mannschaft’.

Klose trepou para o segundo lugar, ultrapassando Maldini, mas ficou a um jogo de Matthäus, que, em termos de presenças em fases finais, continuará igualmente na liderança a par de Carvajal depois da competição marcada para a Rússia.

O veterano Rafael Marquez está entre os pré-convocados do México e deverá também cumprir a quinta presença em Mundiais, com a qual também sonhou o veterano guarda-redes Gianluigi Buffon, só que a Itália acabou eliminada no ‘play-off’ europeu.

- Jogadores com mais jogos em fases finais:

1. Lothar Matthãus (RFA/Alemanha) 25 (1982/98)

2. Miroslav Klose (Alemanha) 24 (2002/14)

3. Paolo Maldini (Itália) 23 (1990/02)

4. Uwe Seeler (RFA) 21 (1958/70)

. Wladyslaw Zmuda (Polónia) 21 (1974/86)

. Diego Armando Maradona (Argentina) 21 (1982/94)

6. Grzegorz Lato (Polónia) 20 (1974/82)

. Evangelista Moraes 'Cafu' (Brasil) 20 (1994/06)

. Bastian Schweinsteiger (Alemanha) 20 (2006/14)

. Philipp Lahm (Alemnha) 20 (2006/14)

10. Wolfgang Overath (RFA) 19 (1966/74)

. Berti Vogts (RFA) 19 (1970/78)

. Karl-Heinz Rummenigge (RFA) 19 (1978/86)

. Ronaldo Nazário Lima (Brasil) 19 (1994/06)

. Per Mertesacker (Alemanha) 19 (2006/14)

15. Franz Beckanbauer (RFA) 18 (1966/74)

. Sepp Maier (RFA) 18 (1970/78)

. Mario Kempes (Argentina) 18 (1974/82)

. Gaetano Scirea (Itália) 18 (1978/86)

. António Cabrini (Itália) 18 (1978/86)

. Pierre Littbarski (RFA/Alemanha) 18 (1982/90)

. Thomas Berthold (RFA/Alemanha) 18 (1986/94)

. Carlos Verri 'Dunga' (Brasil) 18 (1990/98)

. Claudio Taffarel (Brasil) 18 (1990/98)

. Fabio Cannavaro (Itália) 18 (1998/10)

- Jogadores com mais presenças em fases finais (x):

1. António Carbajal (México) 5 (1950/66)

. Lothar Matthäus (RFA/Alemanha) 5 (1982/98)

3. Djalma Santos (Brasil) 4 (1954/66)

. Edson Nascimento 'Pelé' (Brasil) 4 (1958/70)

. Uwe Seeler (RFA) 4 (1958/70)

. Karl-Heinz Schnellinger (RFA) 4 (1958/70)

. Gianni Rivera (Itália) 4 (1962/74)

. Pedro Rocha (Uruguai) 4 (1962/74)

. Wladislaw Zmuda (Polónia) 4 (1974/86)

. Diego Armando Maradona (Argentina) 4 (1982/94)

. Giuseppe Bergomi (Itália) 4 (1982/90, 1998)

. Vicenzo Scifo (Bélgica) 4 (1986/98)

. Franky van der Elst (Bélgica) 4 (1986/98)

. Andoni Zubizarreta (Espanha) 4 (1896/98)

. Paolo Maldini (Itália) 4 (1990/02)

. Hong Myung-Bo (Coreia do Sul) 4 (1990/02)

. Evangelista Moraes 'Cafu' (Brasil) 4 (1994/06)

. Sami Al Jaber (Arábia Saudita) 4 (1994/06)

. Denis Caniza (Paraguai) 4 (1998/10)

. Fabio Cannavaro (Itália) 4 (1998/10)

. Rigobert Song (Camarões) 4 (1998/10)

. Thierry Henry (França) 4 (1998/10)

. DaMarcus Beasley (Estados Unidos) 4 (2002/14)

. Gianluigi Buffon (Itália) 4 (2002/14)

. Iker Casillas (Espanha) 4 (2002/14)

. Miroslav Klose (Alemanha) 4 (2002/14)

. Rafael Marquez (México) 4 (2002/14)

. Samuel Eto'o (Camarões) 4 (1998/02, 2010/14)

. Xavi Hernández (Espanha) 4 (2002/14)

(x) - Tendo disputado pelo menos um jogo em cada presença.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.