A seleção portuguesa de futebol enfrenta no sábado Marrocos, a única equipa africana presente no quartos de final do Mundial2022, no Qatar, onde ainda não perdeu, sendo a equipa sensação entre as oito melhores da prova.

Depois de golear a Suíça por 6-1, nos ‘oitavos’, e sem a influência do capitão Cristiano Ronaldo, que foi suplente utilizado, o conjunto das ‘quinas’ surge muito motivado para tentar novo triunfo rumo às meias-finais, mas, para tal, terá de impor-se contra uma seleção que ‘atirou’ Espanha, uma das favoritas à conquista da ‘copa’, para fora de cena.

Os utilizados por Fernando Santos provaram dentro das quatro linhas que sabem jogar muito e bem sem o capitão, pelo que o selecionador luso quererá manter o nível exibicional, nem que para isso tenha de abdicar, uma vez mais, de Ronaldo.

Tudo sobre o Mundial2022: jogos, notícias, reportagens, curiosidades, fotos e vídeos

Do outro lado, o conjunto treinado por Hoalid Regragui, além de ter afastado os espanhóis na fase anterior, no desempate por grandes penalidades (3-0), depois de 120 minutos sem golos, já tinha surpreendido, ao vencer o Grupo F, no qual alcançou um triunfo sobre a fortíssima Bélgica, segunda colocada do ranking FIFA, outro diante do Canadá (2-1) e um empate com a Cróacia (0-0), tendo sofrido apenas um golo, um autogolo, em quatro jogos.

Os dois triunfos igualam os que tinham, em anteriores Mundiais - um precisamente com Portugal (3-1, em 1986) e outro face à Escócia (3-0, em 1998 -, em 16 jogos, sendo que Marrocos está invicto em todo o Mundial2022, já que também não perdeu na qualificação (sete vitórias e um empate).

Embora não se possa comparar as individualidades dos africanos com a dos lusos, os ‘leões do altas’, que valem muito mais pelo seu coletivo e pelo espírito de entreajuda que colocam em campo, têm dois jogadores de nível mundial e que podem, eventualmente, fazer a diferença: o extremo esquerdo Hakim Ziyech, do Chelsea, e o lateral direito Achraf Hakimi, do Paris Saint-Germain.

A presença de Marrocos nesta fase acaba por ter um destaque maior, já que é apenas a quarta vez na história dos Mundiais que África te, uma equipa nos ‘quartos’, imitando os Camarões (1990), Senegal (2002) e Gana (2010), sendo que todos falharam as ‘meias’.

Para o duelo de sábado, e tendo em conta o nível apresentado por Portugal ante os helvéticos, é expectável que o selecionador luso, Fernando Santos, não mexa na equipa, embora paire sempre a dúvida se Ronaldo voltará ao ‘onze.

No Estádio Al Thumama, em Doha, Diogo Costa deverá continuar a ser o dono da baliza, atrás de Diogo Dalot, que talvez tenha ‘agarrado’ a lateral direita, em detrimento de João Cancelo que não foi opção na terça-feira, Pepe, Rúben Dias e Raphaël Guerreiro.

No meio-campo, Wiliam Carvalho, Bruno Fernandes, Bernardo Silva e Otávio estão bem posicionados para serem as primeiras escolhas, enquanto a dupla atacante João Félix-Gonçalo Ramos parece, agora, ser mais difícil de separar.

O avançado do Benfica fez um ‘hat-trick’ na estreia absoluta como titular pela seleção ‘AA’, e o atacante do Atlético de Madrid protagonizou umas das suas melhores exibições com a camisola das ‘quinas’ frente aos helvéticos.

De resto, Fernando Santos só não pode contar com os defesas Danilo Pereira e Nuno Mendes, ambos indisponíveis devido a lesão.

No sábado, pelas 15:00 (em Lisboa), no Estádio Al Thumama, em Doha, Portugal vai medir forças com Marrocos, naquele que será o terceiro encontro dos quartos de final do campeonato do Mundo de 2022.

O SAPO está a acompanhar o Mundial mas não esquece as vidas perdidas no Qatar. Apoiamos a campanha da Amnistia Internacional e do MEO pelos direitos humanos. Junte-se também a esta causa. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.