A Galp poderá ser levada aos tribunais face ao alegado uso indevido da marca vuvuzelas.

De acordo com a TV Net, a marca foi registada por uma empresa sul-africana chamada Masincedane Sport, que é representada na Europa por uma empresa alemã, Urbas Kerhberg.

Segundo os responsáveis das duas companhias, a Galp não pediu autorização para o uso do nome vuvuzelas para a campanha publicitária que a petrolífera preparou para o Mundial 2010 e poderá assim ser processada.

De acordo com os responsáveis, o caso será entregue aos respectivos departamentos jurídicos.

A agência BBDO, responsável pela concepção da campanha para a Galp, ainda não se pronunciou sobre este assunto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.