O Aston Villa proibiu o seu plantel de jogar no jogo online da Premier League - a 'Fantasy Premier League' - depois de uma fuga de informação ter acontecido antes da partida com o Leicester, no último domingo.

De acordo com o 'Daily Mail', a ausência de Jack Grealish terá sido conhecida muito antes do jogo se realizar, através do Twitter.

A conta 'FPL Insider' - dedicada a este jogo - alertou para o facto de alguns dos jogadores e staff do clube que jogam na 'Fantasy' terem retirado o capitão das suas equipas para a jornada, na sexta-feira, a dois dias da partida, o que indicava uma possível ausência de Grealish.

Os participantes na 'Fantasy Premier League' têm de apresentar a sua equipa até 1h30 antes do primeiro jogo da jornada (neste caso, o Wolves vs Leeds de sexta-feira), o que levou a que as alterações fossem feitas muito antes do jogo e alertassem os internautas.

A ausência acabou mesmo por acontecer e o capitão de equipa ficou fora do jogo, que o Aston Villa perdeu por 2-1. Dean Smith, treinador da equipa, não se mostrou nada satisfeito com a situação.

"Tomei conhecimento que existiam rumores nas redes sociais de que ele não ia jogar. Se a informação saiu do nosso centro de treinos, vou descobrir de onde vem e repreender o responsável. É algo que não me deixa feliz", disse na altura.

Pep Guardiola também comentou a situação esta terça-feira, considerando que, a confirmar-se a fuga de informação através do jogo, é algo "anti-ético".

"Sei que os atletas jogam esses jogos, mas não sei o que é. Às vezes há uma seleção e os jogadores são amigos de jogadores de outras equipas e conversam. Às vezes acontece, é incrivelmente anti-ético e pouco profissional, mas não o consegues controlar", afirmou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.