A seleção do Gabão, que tem Pierre-Emerick Aubameyang como capitão, passou a última noite no aeroporto de Banjul, à espera de entrar na Gâmbia, para um jogo de qualificação para a CAN.

O avançado do Arsenal partilhou vários momentos nas redes sociais, com vários companheiros deitados no chão, referindo que a comitiva esteve seis horas retida no aeroporto à espera que lhes fossem devolvidos os passaportes.

Toda esta situação deixou os 'gunners' em polvorosa. "O Arsenal ligou a Pierre-Emerick. Depois de o ver neste estado, está tudo acabado. Não o vão deixar voltar e não apenas ele. Outros clubes farão o mesmo", admitiu o selecionador Patrice Neveu à imprensa local.

"É compreensível. Eles são jogadores de alto nível e quando jogam pelas equipas nacionais devem ter um mínimo de conforto. Todos os jogadores tentaram dormir no chão do aeroporto. Imaginem se Aubameyang, que ganha mais de um milhão de euros por mês, se lesionasse. O Arsenal pode estar furioso depois do que aconteceu, ver o seu jogador a dormir no chão", acrescentou.

Mikel Arteta, treinador do Arsenal, também foi instado a comentar o que aconteceu. "Obviamente que foi um choque ver uma equipa inteira a dormir no chão. Acredito que todos estavam a tentar fazer o seu melhor, que a seleção estava a tentar fazer o seu melhor, mas às vezes acontecem imprevistos", disse.

"Foi uma experiência. Foi o que eu lhe disse: ‘Aposto que há meses ou anos que não dormias no chão. Encara isso como uma experiência e, quando estiveres na tua cama, repara como é confortável e como tens muita sorte’", apontou o técnico em conferência de imprensa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.