O internacional italiano do Nice assumiu recentemente numa entrevista à Sky Italia que gostaria de regressar ao Manchester City no futuro e que até jogava de 'graça' na equipa comandada por Pep Guardiola.

Numa longa entrevista ao referido canal de televisão, Mario Balotelli falou de vários assuntos, nomeadamente a questão da sua continuidade no Nice depois de janeiro. O avançado italiano revelou que perguntou ao seu empresário sobre o futuro e que lhe passou a mensagem de que quer ir para uma equipa forte.

"Liguei ao Mino Raiola [agente] e perguntei-lhe: 'e o que é que eu faço em janeiro'? Ele respondeu-me que não sabia. Quero ficar [no Nice], por isso veremos. Se não puder ser, gostaria de ir para uma equipa forte. Quero jogar na Liga dos Campeões e ganhar coisas", disse Balotelli.

"Não penso em terminar a carreira. Tenho 27 anos, por isso posso jogar mais seis ou sete anos ao mais alto nível. Sei que tenho de treinar arduamente e penso que estou no caminho certo, por isso veremos onde acabarei [por jogar]", afirmou o avançado italiano sobre o final da sua carreira.

Curiosamente, Balotelli acabou por falar do passado e da forma como saiu do Manchester City em 2013 para rumar ao AC Milan.

"Passado é passado, mas no futebol podes sempre escrever novos capítulos. O meu erro foi ter vivido a minha adolescência como faria um qualquer adolescente, quando isso não me era permitido. Mas não me parece que tenha feito nada de particularmente louco", começou por revelar Balotelli sobre o alegado comportamento pouco profissional que o levou a sair do Manchester City.

"Amo o Manchester City e os adeptos daquele clube. De bom grado voltava para lá e jogava de graça. Foi o melhor ano da minha vida, apesar de não ser uma cidade fácil para se viver. Manchester não é Londres, mas no que toca a futebol, o City foi espetacular. Estou muito feliz que as coisas lhes estejam a correr bem com o Pep Guardiola e espero que conquistem o título o mais depressa possível", acrescentou Balotelli.

Questionado sobre a possibilidade de rumar ao Nápoles na sequência da lesão de Arkadiusz Milik, o internacional italiano afastou esse cenário por causa do presidente napolitano Aurelio De Laurentiis.

"Parece que o presidente  não gosta lá muito de mim, pois se um presidente quer um jogador, contrata-o", sentenciou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.