Bruno Fernandes chegou ao Manchester United em janeiro e rapidamente conquistou o futebol inglês, somando oito golos e sete assistências em 14 jogos na Premier League. Em entrevista ao 'podcast' Box to Box, dos 'red devils', o internacional português falou sobre a relação com Ole Gunnar Solskjaer.

"O treinador dá-me liberdade para fazer o meu jogo. A mim e a todos os jogadores. No início disse-me para arriscar, para fazer aquilo que sempre fiz porque tinha sido por isso que me tinham contratado. E isso deu-me muita confiança", começou por dizer.

Mas nem tudo agrada ao técnico norueguês. "O treinador diz-me muitas vezes que corro demasiado. Que faço corridas que não são para mim. Diz-me ‘tu não tens de correr tanto, tens de gritar para alguém correr. Porque depois cansas-te e quando recebes a bola não vais estar fresco’. Mas este é o meu estilo de jogo, eu sou assim e consigo controlar isto", garante o médio.

Questionado sobre se gosta mais de marcar golos ou de fazer assistências, Bruno Fernandes diz ter dificuldades em escolher.

"Acho que é igual, porque é sempre um golo para a equipa. Jogamos para vencer e se a tua equipa marca, com uma assistência ou um golo teu, ficamos sempre mais perto de ganhar. Gosto de assistir porque jogo na posição 10, que é aquela em que tens de servir os teus colegas", nota.

"Às vezes procuro demasiado o golo quando tenho oportunidade de rematar, mas tento sempre servir um companheiro de equipa. Claro que é importante estar perto do golo, seja para assistir ou para marcar, mas temos de pensar no avançado e para a confiança dele é mais importante fazer golos do que para um camisola 10. Desde que cheguei a Manchester, tento assistir mais e marcar menos, mas é verdade que tenho mais golos que assistências", termina.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.