Mark Clattenburg, antigo árbitro inglês, prepara-se para publicar a sua autobiografia, tendo revelado um excerto da mesma esta sexta-feira, na sua coluna no jornal 'Daily Mail'.

O ex-árbitro abordou o momento em que esteve mais próximo de deixar a Premier League, num episódio que envolve um Stoke-Manchester United e... José Mourinho.

"Wayne Rooney tinha batido o recorde de melhor marcador do Manchester United de Sir Bobby Charlton com um livre direto tardio para o 1-1. Pouco depois do apito final, bateram à porta do balneário e o treinador do United, José Mourinho, entrou. Estava a acabar de tirar as chuteiras. 'Deve de estar feliz desta vez', disse. 'Não me pode culpar pelo empate, pois não'", recorda.

Contudo, Mourinho culpava-o em parte pelo empate, acusando o árbitro de não ter visto uma mão na bola de um jogador do Stoke no interior da grande área. Clattenburg, pelo seu lado, garantia que tinha tomado a decisão correta. Mourinho insistiu e o inglês 'Perdeu a cabeça', numa reação que o português não esperava-

"'Não, eu vi o vídeo. Estavas errado'. Ele [Mourinho] continuava e continuava. Agarrei na bota e atirei-a a parede junto a ele. 'Saia do meu balneário, fo*****. Saia!' Mourinho congelou. Perdi a cabeça. Já não queria saber. Ele não sabia o que dizer. Estava tão cansado de todos aqueles 'mind games' ridículos", conta.

Clattenburg admite que, no caminho para casa, repetiu o lance em causa na sua cabeça vezes sem conta. No final, ao ver as imagens, confirmou que estava certo.

"Vi [o lance] num programa e tinha razão, a bola bateu-lhe no peito. (...) Fui para a cama nessa noite e sabia que estava farto. 'Sabem que mais', pensei, 'não me posso chatear mais com idiotas destes'", concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.