As autoridades britânicas recuperaram o corpo encontrado no avião, submerso no Canal da Mancha, onde viajavam o jogador argentino Emiliano Sala e o seu piloto. O corpo foi transportado para Inglaterra para o processo de identificação.

O navio "Geo Ocean 3", que foi utilizado pelo Departamento Britânico de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB) na operação de resgate, chegou às 8h46 locais ao porto de Portland, no extremo sul da Inglaterra.

O AAIB anunciou que conseguiu recuperar "com êxito o corpo visto previamente nos destroços" do pequeno avião, apesar das "condições adversas".

"A operação correu com a maior dignidade possível, e as famílias foram informadas de todo o processo", acrescentou o AAIB.

Com as previsões meteorológicas a piorarem nos próximos dias, as autoridades decidiram encerrar a operação de resgate. Cabe agora aos médicos legistas e à polícia determinar a identidade do cadáver.

O AAIB informou que foi impossível tirar o avião do fundo do Canal da Mancha, mas que as imagens serão usadas na investigação. Um relatório preliminar será divulgado daqui a duas semanas.

Quase duas semanas depois do desaparecimento da aeronave, as autoridades britânicas anunciaram, no domingo, terem encontrado os restos do avião no fundo do mar e, no dia seguinte, ter detectado a presença de cadáver entre os destroços da aeronave.

A 26 de janeiro, a família do jogador conseguiu que as buscas fossem retomadas, graças a uma campanha que arrecadou 400 mil euros, dois dias depois do encerramento oficial das operações coordenadas pela polícia de Guernsey.

David Mearns, diretor da 'Blue Water Recoveries', a empresa privada contratada pela família do atacante argentino para dar continuidade à busca submarina e que localizou o avião, disse que sem a campanha de angariação de fundos, "ninguém teria procurado a aeronave".

Também disse que era "imperativo" recuperar o corpo.

"Quando se trata de um cadáver, o tempo é curto. É então imperativo que se prossiga na recuperação do avião e do corpo", afirmou

A 21 de janeiro, o avião que transportava Emiliano Sala de Nantes, França, para Cardiff, no País de Gales, desapareceu dos radares quando atravessava o Canal da Mancha. O último contacto foi feito por volta das 20h00, quando o piloto pediu autorização para baixar dos 1500 para os 700 pés. O monomotor Piper PA-46-310P Malibu desapareceu dos radares A cerca de 20 kms a norte de Guernsey.

No domingo, os destroços da aeronave foram localizados por uma equipa de busca privada comandada pela família Sala: um corpo foi localizado na segunda-feira na aeronave.

Sala, que havia assinado por três anos e meio, foi a maior transferência já feita pelo clube galês, que atualmente luta para se manter na ‘Premier League’, a divisão maior em Inglaterra.

O argentino, que iniciou a carreira nos portugueses do FC Crato e representou também o Bordéus, o Orleáns, o Chamois Niortais e o Caen, tinha-se encarregado de marcar o voo, recusando a oferta de transporte oferecida pelo clube galês.

O atleta tinha sido treinado por Sérgio Conceição, atual técnico do FC Porto, no Nantes, no qual foi companheiro de Sérgio Oliveira, na altura emprestado pelos ‘dragões’.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.