A redução da duração dos jogos é uma das propostas que está a ser avaliada para o regresso da Premier League, suspensa devido à COVID-19, revelou hoje o presidente da Associação de Futebolistas Profissionais de Inglaterra (PFA).

“Não sabemos o futuro, mas sabemos as propostas e ideias que foram apresentadas. Existe a possibilidade de haver mais substituições, de os jogos terem menos de 45 minutos em cada parte e também se fala em realizar os jogos em campos neutros”, explicou Gordon Taylor, em declarações à BBC.

Na sexta-feira, os clubes do primeiro escalão inglês voltam a reunir-se, numa altura em que os organizadores da competição estão em conversações com especialistas médicos e com o governo britânico para tentar retomar o futebol em junho e disputar os 92 jogos que faltam para terminar a edição 2019/20 da Premier League.

“É um processo muito complexo e teremos que esperar para ver se é viável. Uma coisa é certo, se não tentarmos, então nunca será viável de certeza. Há muito a discutir, mas a questão principal é se a temporada pode terminar de uma forma completamente segura”, referiu o antigo extremo, agora com 75 anos.

A Premier League foi interrompida no início de março devido à pandemia de COVID-19, numa altura em que o Liverpool tinha caminho livre para ser campeão, já que lidera a prova com mais 25 pontos que o Manchester City, de Bernardo Silva e João Cancelo.

De acordo com os últimos dados, o Reino Unido apresenta o quarto maior número de infetados no mundo com o novo coronavírus (190.584) e registou 28.734 mortos, aparecendo só atrás de Estados Unidos e Itália.

Com a declaração de pandemia, em 11 de março, inicialmente alguns eventos desportivos foram disputados sem público, mas, depois, começaram a ser cancelados, adiados – nomeadamente os Jogos Olímpicos Tóquio2020, o Euro2020 e a Copa América – ou suspensos, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais de todas as modalidades.

Os campeonatos de futebol de França e Países Baixos foram, entretanto, cancelados, enquanto países como Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal preparam o regresso à competição.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 250 mil mortos e infetou mais de 3,5 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.