Este domingo joga-se, na Premier League, um dos clássicos mais apetecidos do futebol europeu, com o Manchester United a receber o Liverpool em Old Trafford, e Cristiano Ronaldo concedeu uma entrvista à 'Sky Sports' na qual, para além desse necontro, abordou também o seu regresso aos 'Red Devils' e o papel que tem na equipa.

"Estou motivado para fazer as minhas coisas, deixar as pessoas felizes e a mim também. Gosto de jogar futebol", começou por dizer o internacional português.

Ronaldo falou, depois, do que encontrou neste regresso ao United. "Estamos num momento de mudança. Cheguei eu, Varane, Sancho. A adaptação vai levar tempo, até o sistema em que jogamos, mas temos de pensar que tudo é possível. Ponho o coletivo em primeiro lugar, porque só assim conseguimos chegar aos prémios individuais. Todos devem saber o seu lugar, eu sei o meu papel na equipa, no clube. O meu trabalho é marcar golos, embora também tenha um papel defensivo, ajudar com a minha experiência para compreender o jogo. Se todos pensarem assim, no sacrifício pela equipa, seremos melhores", frisou na mesma entrevista.

Ronaldo sobre o final de carreira: "Ainda não chegou a minha hora"
Ronaldo sobre o final de carreira: "Ainda não chegou a minha hora"
Ver artigo

CR7 fez, também, questão de sublinhar que não se coíbe de cumprir trabalhos defensivos quando o jogo a isso o obriga e deixou palavras aos críticos. "Sei quando a equipa precisa da minha ajuda em termos defensivos, faz parte do meu trabalho. Há pessoas que não querem ver isso porque não gostam de mim, mas sejamos honestos, tenho 36 anos, já ganhei tudo, vou estar preocupado com quem diz coisas negativas sobre mim? Durmo bem à noite, de consciência tranquila. Podem criticar, mas vou continuar a calar muitas bocas e a ganhar", garantiu.

"Críticas fazem sempre parte do trabalho. Não estou preocupado com isso. Até vejo isso como uma coisa boa, para ser honesto. Se eles se preocupam tanto comigo ou falam sobre mim, é porque sabem o meu potencial e valor no futebol. Acho que o mais importante é que ainda sou feliz e desfruto a jogar futebol. Não importa a quantidade de coisas que ganhei na minha carreira. Ganhei tudo mas ainda estou motivado", acrescentou.

VEJA AQUI UM PEQUENO EXCERTO DA ENTREVISTA

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.