O extremo inglês Jermaine Pennant de 35 anos está muito perto de terminar a sua carreira no modesto Billericay Town do quinto escalão do futebol inglês depois de um início de carreira promissor com passagens por clubes como Arsenal, Birmingham e Liverpool.

A jogar no 15º clube da sua carreira, Jermaine Pennant vai lançar uma autobiografia na próxima quinta-feira intitulada 'Mental' onde faz revelações sobre o seu percurso no mundo do futebol. O jornal 'Mirror' teve acesso a alguns excertos da obra autobiográfica do jogador de 35 anos em que Pennant conta como a infância marcada pela toxicodependência do pai deixou marcas profundas.

"Mesmo quando estava na escola sabia que o meu pai vendia drogas. Mas é o teu pai e por isso não vais dizer nada e provavelmente nem vais pensar nisso. Mas já quando tinha 12 ou 13 anos sabia o que se andava a passar", começou por relatar o jogador inglês de 35 anos.

"Vou sempre lembrar-me de um aniversário em particular. Penso que era o meu 14º aniversário. Recebei várias cartas de aniversário com dinheiro da minha avô e de outros membros da família. Consegui reunir cerca de 45 euros e o meu pai virou-se para mim e disse: 'Recebeste algum dinheiro?'. Eu disse-lhe que sim, que tinha recebido algum pelo meu aniversário, e ele apenas me respondeu: 'Ok, dá-me o dinheiro que eu depois devolvo-te', revelou Pennant.

"Eu sabia porque é que ele o queria e também tinha noção que não voltaria a vê-lo porque o meu pai já estava 'agarrado' à droga. Não tinha um trabalho e já nem droga conseguia vender porque consumia tudo o que tinha (...) A droga tomou total controlo da sua vida. 'Dá-me dinheiro', como é que dizes não ao teu pai. Então, basicamente, ele tirou-me o dinheiro. Lembro-me de chorar. Ele mandou-me parar de chorar e para deixar de ser estúpido pois iria devolver-me o dinheiro depois. Nunca mais vi esse dinheiro. Ele consumiu droga durante uma década e isso é muito tempo para estar a consumir", acrescentou o antigo jogador de Arsenal e Liverpool.

Sobre a sua relação pessoal com as drogas, o ex-jogador de Liverpool e Arsenal conta também como experimentou marijuana pela primeira vez quando tinha 12 anos.

"Nunca fiquei tentado a usar drogas, talvez por ver a destruição que provocam. Uma vez experimentei marijuana, foi o meu pai que me deixou, penso que para me dar uma lição", pode ler-se na autobiografia do jogador inglês.

Apesar de ter representado os sub-21 da seleção inglesa, o extremo de 35 anos não escondeu a sua mágoa por nunca ter representado a seleção principal da Inglaterra.

"Acho que se tivesse tido uma infância diferente, teria jogado pela seleção inglesa, teria tido uma carreira maior. Tive uma boa carreira, não estou triste, mas poderia ter feito mais. Sei disso e sou o primeiro a admitir", atirou Jermaine Pennant.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.