As equipas dos dois clubes de maior palmarés em Inglaterra lutaram muito a meio campo, num jogo em que as defesas foram sempre mais fortes do que os ataques, pelo que ambas ficam 'castigadas' com um 'nulo' que as atrasa mais na prova.

"Não era o resultado que queríamos mas é um resultado positivo. É um resultado que impede um rival direto de conseguir três pontos em casa. Foi um jogo difícil para ambas as equipas mas foi, durante longos períodos, mais difícil para eles", começou por dizer José Mourinho no final da partida.

"Taticamente controlámos o jogo e também as emoções. Acho que nunca estive num Anfield tão silencioso e esperava que fosse precisamente o oposto. (…) A reação dos adeptos foi de permanente desilusão. As pessoas esperavam ver-nos em dificuldade mas isso não aconteceu. Este ponto que conquistámos impede o Liverpool de ganhar três. Outros candidatos ao título têm um calendário mais fácil e é preciso mantermo-nos próximos deles. Vai chegar a altura em que vamos ganhar cinco jogos seguidos", acrescentou o treinador do Manchester United.

O Liverpool, que poderia alcançar no topo o Manchester City e o Arsenal com 19 pontos, acaba por manter o quarto lugar, com 17. Quanto ao Manchester United, permanece em sétimo, com 14, já a cinco do topo da prova.

A grande figura do United, clube que é treinado esta época por José Mourinho, foi o guarda-redes De Gea, a negar o golo a remates de Emre Can, aos 58 minutos, e de Philippe Coutinho, aos 71.

A exibição de De Gea contrasta com o grande 'apagamento' de Zlatan Ibrahimovic, que desta vez não conseguiu 'salvar' a formação de Manchester, em que Wayne Rooney atuou na última dúzia de minutos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.