O Manchester City mostrou-se implacável no regresso à competição e não deu hipóteses ao Arsenal, batendo os 'gunners' por 3-0 num jogo que teve um pouco de tudo.

O Arsenal teve uma partida verdadeiramente para esquecer e logo nos primeiros dez minutos viu Granit Xhaka sair lesionado. Aos 24 minutos, nova lesão nos londrinos. Desta feita foi Jose Mari a dar o lugar a David Luiz. E o brasileiro viria a ter influência decisiva no jogo - pelos piores motivos.

Depois de ambas as equipas desperdiçarem boas oportunidades para abrirem o ativo, e quando já se aguardava o intervalo, o antigo jogador do Benfica aliviou mal, de forma displicente, um cruzamento e a bola acabou nos pés de Sterling, que marcou o primeiro do jogo e da retoma da Premier League.

Mas o pesadelo de David Luiz ainda não tinha terminado. Quatro minutos depois do reatar da segunda parte o brasileiro cometeu uma grande penalidade, e foi expulso. Foram 26 minutos em campo verdadeiramente para esquecer. Kevin De Bruyne transformou o penálti e elevou para 2-0.

Bernardo Silva, que começou no banco, foi lançado por Guardiola aos 65 minutos (João Cancelo, o outro português, não foi convocado, tal como Cedric Soares, lesionado, do lado do Arsenal ) e o City iria mesmo chegar ao 3-0, por intermédio do jovem Phil Foden, com um remate com o pé esquerdo no coração da área. Pelo meio, um momento arrepiante. Ederson, guarda-redes do Manchester City, esbarrou com violência com o colega de equipa Eric Garcia, que ficou estendido no chão, sem reação, sendo assistido cerca de dez minutos no relvado antes de ser retirado em maca e a precisar de oxigénio.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.