Esta segunda-feira ficou a saber-se que o Manchester City vai poder jogar nas competições europeias depois de vencer o recurso no Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) contra os dois anos de suspensão das competições da UEFA. Quem não ficou contente com a decisão foi José Mourinho.

"Penso que, em qualquer caso, é uma decisão lamentável. Porque se o Manchester City não é culpado de todo, acho que ser castigado com alguns milhões, é uma desgraça. Se não és culpado, não és punido. Mas, por outro lado, se és culpado deves ser castigado. Então também é uma decisão lamentável. A decisão é um desastre", referiu o treinador do Tottenham.

O City tem uma vantagem de 14 pontos sobre o quinto classificado Manchester United na Premier League e já garantiu a qualificação para a Liga dos Campeões. Já o Tottenham está em 8º lugar com 52 pontos, menos sete que os 'red devils', que está em posição de disputar a Liga Europa na próxima temporada.

A decisão do TAS também foi analisada pelo alemão Jürgen Klopp, treinador do recém-sagrado campeão Liverpool, mas com sentimentos dúbios, feliz pelo Manchester City e incomodado pela questão do fair-play financeiro.

“Fico contente que o City possa jogar no próximo ano a Liga dos Campeões, mas não creio que tenha sido um dia bom para o futebol”, disse o treinador alemão, explicando que se trata de uma falha na equidade entre clubes.

Para o alemão, a inexistência do fair-play financeiro desequilibrará o futebol a favor dos mais ricos: “Creio que levará, automaticamente, a uma superliga de uns dez clubes”, justificou.

 *Artigo atualizado às 16h39

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.