José Mourinho, que orienta agora o Manchester United, recordou a forma como se processou a sua segunda saída do Chelsea, em dezembro de 2015. O técnico garante que, contrariamente à versão oficial do clube londrino, foi despedido de forma unilateral.

"O senhor Abramovich decidiu despedir-me. Não foi mútuo acordo. Mas eu saí sem dizer nada de mau sobre seja o que for ou seja quem for no clube", disse Mourinho à Sky Sports.

Na sua primeira passagem pelos 'blues', pelo contrário, o técnico decidiu que a melhor opção era a saída.

"Na minha primeira passagem pelo Chelsea é que concordei que era altura de mudar. Eu estava com vontade de mudar, mais do que pronto para ir para outros países. Mas desta vez não foi assim. Foi uma decisão do dono e fui informado dessa decisão. Aceitei-a de forma bem educada e assinámos os papéis. Fi-lo de forma calma e respeitosa".

Até ser nomeado treinador do Manchester United, Mourinho decidiu continuar a viver em Londres.

"Esperei por aquilo que preferia, que era continuar em Inglaterra, na Premier League, e tive a sorte de ter o interesse de um clube grande como o Manchester United".

Ainda sobre o despedimento do Chelsea, Mourinho garante que conseguiu ultrapassar bem a situação.

"Demorei um par de dias [a ultrapassar] e depois ficou resolvido e levei a minha vida de forma comum. Continuei em Londres, mantive lá uma casa, andava pela rua, ia ao ginásio, via futebol".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.